Revisitando meus gastos – 2018

O primeiro post que fiz sobre meus maiores e menores gastos foi em 2013, depois fiz outro em 2016. Agora minha situação financeira mudou bastante, então fiz um novo relatório:

Gasto mais/passei a gastar com:

  • Saúde: entre remédios, terapia e consultas, meu tratamento contra a depressão chega a quase 10% dos meus gastos atuais.
  • Alimentação: diminuí bastante o consumo de fast-food, mas estou fazendo uma reeducação alimentar (orientada por uma nutricionista) e acabo gastando mais com comidas saudáveis, que costumam ser caras.
  • Despesas de casa: já não gasto tanto com móveis e decoração, mas os valores das contas de casa (aluguel, condomínio, energia elétrica) continuam aumentando todo ano.
  • Educação: somadas, as mensalidades da pós-graduação e do FIES representam o meu segundo maior gasto, totalizando quase 30% das minhas despesas.

Gasto menos com:

  • Academia: parei por completo de frequentar a academia e fazer as aulas de Krav Maga. Infelizmente não consegui fazer e passar no exame da faixa verde, mas com o aumento dos gastos essenciais ficou impossível pagar academia.
  • Transporte:  no ano passado eu gastei bastante com aplicativos de táxi como Uber e afins, na maior parte do tempo por estar atrasada ou com preguiça de andar/pegar ônibus. Esse ano eu resolvi cortar isso.

Gastos que praticamente não mudaram:

  • Roupas, sapatos e acessórios: continuo comprando tanto quanto nos últimos dois anos, na maioria das vezes apenas quando preciso substituir alguma peça.
  • Produtos de beleza: gastei muito no ano passado por causa do meu problema com espinhas, mas agora estou conseguindo reduzir. Meu maior gasto é com produtos para o cabelo, já que passei a fazer  o famoso cronograma capilar.
  • Livros: minha principal fonte de leitura ainda é o Lê Livros. 😀
  • Celular: ainda faço as recargas de R$ 25 mensais.
  • Hobbies: continuo comprando jogos 2 vezes por ano nas Steam Sales, continuo assinando Netflix, e agora faço a assinatura de riscos do Clube do Bordado, de R$ 8,00 por mês.

Como vocês podem ver, a situação não está boa: meus gastos essenciais aumentaram bastante, e não tenho muitos gastos supérfluos para cortar e compensar esse aumento. O que me deixa mais tranquila é ainda conseguir poupar um pouco do que recebo (tenho duas “poupanças” no momento: uma para a aposentadoria, outra para uma futura mudança de apartamento), e também saber que essa condição é temporária – a pós termina em julho de 2019, e o tratamento contra a depressão também não é eterno (espero!). Por enquanto eu só preciso aguentar firme.

Anúncios

“Louca dos esmaltes”? Não mais

É engraçado como nossos gostos vão mudando com o tempo e a gente nem percebe.

Em 2013 escrevi um post sobre o quanto eu adorava esmaltes e outro, um mês depois, contando que eu me descontrolei e comprei muito mais esmaltes do que deveria. Nessa época eu tinha 7 vidros de cores diferentes e achava pouco!

Quase cinco anos depois, minha caixa de esmaltes hoje tem 4 vidros: um vermelho, um preto, um cinza, e um dourado que comprei por nostalgia mas me achei ridícula usando. O cinza já está acabando e acho que nem vou comprar outro – vou usar apenas vermelho e preto a partir daí. Também pretendo arranjar um jeito de usar o esmalte dourado, que não seja passar nas minhas unhas.  😀

Continuo sendo alérgica, mas hoje em dia as marcas mais populares já fazem esmaltes hipoalergênicos, então não preciso mais gastar R$8~R$20 num único vidro. Ainda gosto de pintar as unhas, mas não faço mais nail art; prefiro a simplicidade de usar só uma cor por vez e não perder tanto tempo escolhendo combinações/fazendo as unhas.

Lá em 2013, quando entrei nessa onda do minimalismo, eu ficava pensando se um dia conseguiria usar apenas uma cor de esmalte, e decidi que se chegasse a esse ponto de simplicidade, eu escolheria ou preto, ou vermelho – ou ambos, sendo um pouquinho indulgente. Pois bem, esse dia chegou!

Balanço de compras e destralhes (03/2018)

O que eu quis comprar, mas não comprei:
  • Acessórios de cabelo
O que eu comprei:
  • 1 tapete para yoga
  • 1 toalha de praia
  • 1 mini-curso de terrários fechados
  • Materiais escolares:
    • 1 caneta vermelha
    • 1 caneta-corretivo
    • 1 caixa de lápis
  • 1 tapete para a cozinha
  • 1 pashmina
  • 2 garrafas de licor e 1 de cachaça
  • 1 notebook
Do que eu me desfiz:
  • Nada

 

As compras supérfluas do mês foram a pashmina e os licores/a cachaça, apesar de esses últimos serem souvenirs/presentes da minha viagem. O curso de terrários eu não considero supérfluo, é um hobby e eu aprendi algo no final.

O tapete para a cozinha e as toalha de praia foram reposições do que eu perdi no incidente do esgoto, os materiais escolares são para a pós-graduação, e o notebook foi uma compra de emergência – já estava planejando comprar um futuramente, mas o meu antigo estragou depois de 5 anos de uso, então achei melhor adiantar.

Sem destralhes esse mês! Estou me sentindo ligeiramente culpada. 😀

 

20180310_171116

Terrário que fiz no mini-curso ❤

DIY – Revitalizando roupas com corante

Tenho uma calça jeans preta que veste muito bem e está conservada, mas que infelizmente desbotou e estava bem feia. Comprar outra seria um desperdício, então resolvi tingir a calça para recuperá-la. Aproveitei para fazer o mesmo com dois tapetes de banheiro que estavam manchados de água-sanitária.

Já tinha usado corante para tecido em dois projetos: as almofadas do meu quarto e a cortina de pia da cozinha, então não tive dificuldade em trabalhar com esse material.

20180329_153231

Corantes que usei: um para algodão e outros tecidos, outro específico para jeans

Segui as instruções específicas de cada vidrinho – o procedimento é diferente para jeans e algodão, e tingi primeiro a calça, depois os tapetes. Lavei, coloquei no varal para secar e pronto. Os resultados foram esses:

pixlr (1)

Calça jeans: antes e depois

A foto está péssima, mas a calça ficou bem preta, parece nova. Não tem nenhuma mancha e todo o desbotado feio sumiu!

pixlr

Tapetes: antes e depois

O tapete mais escuro ficou bom, as manchas de água sanitária desapareceram, já o tapete mais claro ficou um pouco manchado. Acredito que isso aconteceu porque coloquei os dois tapetes juntos no caldeirão para tingir. Da próxima vez coloco uma peça por vez.

O custo total do projeto foi R$ 3,00, já que eu tinha o vidro de corante azul (comprei muito quando tingi as almofadas), só comprei o corante para jeans.  Sucesso!

Ainda estou por aqui, viu?

Eu já estou até com vergonha de pedir desculpas por sumir do blog, e imagino que vocês estejam cansados de ler essas desculpas, mas infelizmente esse é mais um desses posts. 😀

Não tive tempo de escrever nada em março pelos seguintes motivos:

  1. Durante as duas primeiras semanas, substituí o um colega que saiu de férias e estava coordenando minha equipe de trabalho, fiquei atarefadíssima, até esqueci que o blog existia;
  2. Na terceira semana, tirei férias e viajei para Paraty, depois vim para a casa da minha mãe no interior de MG;
  3. Meu notebook teve um problema grave e ainda está no conserto – na verdade, nem temos certeza de que ele realmente pode ser consertado, então adiantei a compra de um novo;

De qualquer forma, volto à minha rotina em abril e, se tudo der certo, com mais post nesse blog.

20180322_103318

Casa na Praça da Matriz, em Paraty

Balanço de compras e destralhes (02/2018)

Todo mês, durante o desafio do jejum de compras, eu escrevia uma lista de coisas que quis comprar, coisas que efetivamente comprei e coisas das quais me desfiz, para avaliar se estava realmente fazendo um “jejum” e comprando menos.

O desafio acabou, mas resolvi voltar a fazer essas listas mensais como preparação para meu próximo semestre sem compras, e para controlar de perto meus gastos com supérfluos.

O que eu quis comprar, mas não comprei:
  • 1 toalha de praia
  • Enfeites para a prateleira da sala
  • 1 tapete para yoga
O que eu comprei:
  • 1 cinto preto
  • 1 cinto marrom
  • 1 bolsa
  • 1 lenço
  • 1 faixa de cabelo
  • 2 luminárias
  • 1 lâmpada
  • 1 vela decorativa
  • 2 conjuntos de toalhas de rosto e banho
  • Passagens e hospedagem para minha viagem de férias
Do que eu me desfiz:
  • 1 cinto marrom
  • 1 bolsa
  • 2 calcinhas

As toalhas foram gastos inesperados, porém necessários, por causa do que eu contei no último post.  Os cintos e a bolsa foram substituições – poderia ter comprado um cinto só, mas o modelo que eu gostei só vinha numa promoção do tipo “2 pelo preço de 1”.

O pior dia da minha vida

Esse texto é só um relato de algo que ocorreu na minha vida, não nenhuma relação com minimalismo.

Domingo passado (18/02), acordei ouvindo um barulho no meu banheiro, fui ver o que era, e qual não foi minha surpresa ao abrir a porta e ver que o cômodo estava completamente alagado de esgoto, que estava vindo do ralo do chuveiro e estava prestes a alagar o meu quarto também.

Minha primeira reação foi pegar umas toalhas e colocar na soleira da porta para tentar conter a água, depois disso liguei para um bombeiro que conheço e ele me orientou a tampar o ralo com alguma coisa e falar com a administração do prédio imediatamente. Liguei na portaria, a síndica e o zelador não estavam, porque eles não trabalham no domingo. Então calcei meus tênis, amarrei uma sacola em cada pé, peguei umas luvas de limpeza e entrei no banheiro alagado para tentar tampar o ralo.

Peguei o tapete do banheiro – que já estava arruinado mesmo – e enfiei no ralo. Não funcionou, então peguei uma toalha e enfiei lá também. Nessa hora o esgoto começou a escorrer para o quarto, então peguei mais toalhas e coloquei na porta para tentar conter.  Fui na portaria, ligaram para a síndica, e ela disse que ia chamar uma empresa de desentupimento para resolver o problema.

Voltei para o apartamento, as toalhas que coloquei na soleira da porta já estavam ensopadas e a água estava já tinha escorrido para metade do meu quarto. Como não tinha mais o que fazer, fiquei esperando o pessoal chegar.

O zelador e o funcionário da empresa de desentupimento chegaram e resolveram o problema, mas não sabem o que o causou. Parece que algo entupiu a saída de esgoto entre o meu apartamento e os de baixo, e o esgoto que vinha dos apartamentos de cima não tinha por onde sair e acabou indo para o meu apartamento. Eles tiraram algumas coisas de dentro do cano, mas disseram que o que tinha de maior desceu.

Depois disso, sobrou a bagunça para eu arrumar. As toalhas estavam inutilizáveis, vi que no desespero eu acabei colocando todas na porta, então eu não tinha mais nenhuma toalha em casa. Precisei jogar todas fora. Limpei a casa toda, o zelador deixou uns galões de cloro e desinfetante para mim e eu usei quase tudo no quarto e no banheiro. Eu consegui salvar a cortina do chuveiro e o armário do banheiro, que está utilizável apesar de ter ficado molhado na parte de baixo (ele é de MDF). O chão do meu quarto, que é piso vinílico, ficou inchado e está descolando em algumas partes.

Depois de toda essa confusão, recebi algumas toalhas de doação e também comprei algumas novas, mas ainda preciso repor outras coisas que perdi. Estou bem triste pelo chão porque o achava super bonito, mas acho que o dono do apartamento não vai querer gastar dinheiro para trocá-lo. Felizmente ele sabe do que aconteceu então não serei responsabilizada pelo estrago quando terminar o contrato.

Quando conto essa história para as pessoas, muitas me dizem “Nossa, como você é forte! No seu lugar, eu teria sentado e chorado.”  Sinceramente, não acho que eu poderia ter feito diferente. É lógico que eu fiquei em choque na hora, mas se eu mesma não fosse resolver o problema, ninguém mais resolveria para mim. Morar sozinha é isso, né?

Enfim, o que passou passou, mas eu não desejo uma coisa dessas nem para o meu pior inimigo.

Objetivos financeiros para 2018

Como prometido no post anterior, esses são os meus objetivos financeiros para 2018:

Aumentar a poupança mensal para aposentadoria: em 2017 eu comecei a guardar uma quantidade para a minha reserva da aposentadoria, mas era um valor baixo. Esse ano fixei o valor em 12% da minha renda. Cheguei a essa porcentagem através de um artigo do site Finanças Femininas, chamado “IMC do Bolso”, que indica o quanto você deve poupar por mês de acordo com a sua idade.

Investir 100% dos ganhos extras: geralmente, quando recebo algum dinheiro além do salário (vendas, reembolsos, etc) eu costumo gastá-lo porque nunca é uma quantia alta, mas quero passar a investir esse dinheiro também.

Mapear maiores despesas e reduzir em pelo menos 10%: essa meta foi inspirada por um artigo do site The Financial Diet sobre a “regra dos 10%”, que consiste em analisar cada categoria do seu orçamento e pensar como você pode reduzi-las em apenas 10%. Pretendo fazer isso com minhas maiores despesas: alimentação, gastos com a casa e transporte.

Passar 6 meses sem compras: faz tempo que estou querendo fazer um outro ano sem compras, mas nos últimos tempos eu sempre preciso de uma ou outra coisa, e fico adiando. Em 2016 eu fiz o desafio do Jejum de Compras mas, apesar de ter reduzido meus gastos com supérfluos, eu não os eliminei completamente. Vou aproveitar que meu orçamento estará bastante apertado esse ano para passar seis meses comprando apenas o essencial e nada mais. Provavelmente começo em julho!

 

Balanço das finanças de 2017

O ano passado também foi um ano tranquilo em relação às finanças – parece que é a única área da minha vida sobre a qual eu ainda tenho algum controle, risos. As despesas aumentaram, mas as receitas também, porque finalmente fui contratada como CLT! 2017 teve seus altos e baixos, em resumo:

Pontos positivos:

  • Comecei a poupar uma quantia mensal para a aposentadoria;
  • Incrementei minha reserva para emergências;
  • Mantive as compras de supérfluos sob controle, graças à minha lista de compras permitidas por mês.

Pontos negativos:

  • Novamente, não segui à risca os valores definidos para cada categoria do meu orçamento mensal;
  • Estudei menos do que gostaria sobre finanças;
  • Gastei bastante (de novo) com restaurantes/delivery e Uber/Cabify/etc. Os dois gastos aumentaram porque estou saindo mais, mas também por preguiça de cozinhar ou ir a pé ou de ônibus para os lugares.

Conclusão:

Como repeti alguns erros dos anos anteriores, principalmente no que diz respeito á definição do orçamento, acho que chegou a hora de adotar uma nova abordagem. 2018 será um ano de muitos, muitos gastos – todas as minhas despesas fixas estão aumentando, e a pós-graduação também vai pesar bastante, por isso preciso ser ainda mais responsável com meu dinheiro. O post da semana que vem será sobre as minhas metas financeiras para este ano.

Faxina anual do guarda-roupa + inventário de roupas e sapatos

Aproveitei uma das tarefas da January Cure 2018 do Apartment Therapy (mais sobre o desafio aqui) para fazer a tradicional faxina no meu armário. Em 2017, ele estava assim. Esse ano, temos:

Calças e afins:
  • 2 calças jeans
  • 1 calça de algodão
  • 2 shorts 
Casacos e afins:
  • 3 casacos
  • 3 jaquetas
  • 2 cardigãs
  • 2 suéteres
Blusas:
  • 18 blusas/camisas de manga curta
  • 5 camisetas
  • 3 camisas de manga longa
  • 1 camisa de manga 7/8
Vestidos e saias:
  • 6 vestidos curtos
  • 3 vestidos longos
  • 1 saia longa
Roupas de academia:
  • 1 short
  • 1 legging
  • 4 camisas
  • 2 tops
  • Uniforme do Krav-Maga:
    • 1 calça
    • 1 blusa
    • 1 quimono
Pijamas:
  • 2 pijamas para o frio
  • 1 pijama para o calor
  • 1 pijama para meia-estação
  • 1 camisola
Lingerie e afins:
  • 1 biquíni
  • 1 maiô
  • 1 camisete
  • 4 calcinhas avulsas
  • 3 calcinhas absorventes
  • 2 sutiãs avulsos
  • 6 conjuntos de calcinha e sutiã
Meias e lenços:
  • 2 meia-calças
  • 1 par de meias 7/8
  • 1 pares de meias 3/4
  • 7 pares de meias soquete
  • 7 lenços
Acessórios:
  • 1 cinto
  • 1 pashimina
  • 1 cachecol
  • 2 bolsas transversais
  • 1 bolsa de ombro grande
  • 1 mochila normal
  • 1 mochila-saco
  • 1 chapéu de praia
Total: 113 itens
 

  
Sapatos:
  • 1 par de chinelos
  • 2 pares de sandálias
  • 1 par de botas
  • 2 pares de sapatilhas
  • 2 pares de tênis casuais
  • 1 par de tênis de corrida
Total: 9 pares

Itens retirados na faxina :
  • 1 calça jeans
  • 3 calcinhas
  • 1 conjunto de calcinha e sutiã
  • 1 bermuda
  • 1 cardigã

Compras/substituições:
  • 1 cinto
  • 1 calça jeans
  • 1 bolsa transversal marrom
  • 1 par de botas de cano curto
  • 1 par de sapatos oxford
  • Calcinhas e meias

 

A quantidade de itens variou pouco, a grande diferença é que este ano eu incluí minhas bolsas e mochilas na lista, coisa que esqueci de fazer no ano passado.

Tudo o que está na seção de compras são substituições – meu cinto e minha bolsa preferida estão literalmente caindo aos pedaços, uma tristeza. A lista de desejos de 2018 já está atualizada.