Fazendo (menos) escolhas

Há uns dias li uma reportagem ótima no site da Época, chamada “Escolha menos e viva melhor” , sobre como as pessoas tem opções demais para tudo que elas quiserem ter ou fazer, e como fazer menos escolhas pode melhorar a qualidade de vida. Para ilustrar o texto, os jornalistas acompanham a rotina de uma mulher e as escolhas que ela faz no dia-a-dia, e o trecho mais interessante eu copiei abaixo:

“Pelo celular, ao lado da cama, ela lê as manchetes de três jornais, confere a caixa de mensagens e responde aos e-mails mais urgentes. No banho, Renata escolhe entre três xampus e três condicionadores – ela acha que variar os produtos faz bem. Enquanto enxágua os cabelos, pensa na roupa adequada para as reuniões do dia. Seu guarda-roupa de outono-inverno tem 30 calças, dez camisas e 16 pares de sapatos. Após o banho, escolhe, conforme o aroma, um de seus cinco hidratantes. Nos olhos, usa rímel preto. Guarda as opções azul e marrom para dias especiais. A sombra, ela escolhe entre 30 cores.”

Assim que li isso fiquei tipo: “GENTE?? Como assim?? Três shampoos e  três condicionadores? Cinco hidratantes? 30 cores de sombra? E essa mulher tem mais calças do que eu já tive na vida, e só no guarda-roupa de inverno!”

Vejam bem, não a estou julgando. Cada um faz o que quiser da vida, ainda mais se tiver dinheiro para isso!  Mas  mesmo antes de ser minimalista, eu já acharia desnecessário ter tantas coisas assim, que dirá agora… E acabei concordando com a reportagem, quanto mais opções à nossa volta, mais angustiante se torna escolher alguma coisa. Para mim, pelo menos, é assim.

Uma coisa que sempre me estressa, por exemplo, é escolher roupa para sair para qualquer lugar. Geralmente penso nas possíveis roupas dias antes do evento, penso também em uma segunda opção para o caso de o tempo mudar… E sempre fico com aquela sensação de que “não tenho roupa” ou “estou arrumada/simples demais” (isso acontece porque minhas roupas não combinam muito entre si, mas pretendo resolver isso quando meu ano sem compras acabar!). Até no dia-a-dia, para ir à faculdade e trabalhar, eu fico assim. Já simplifiquei um pouco: a fim de sujar menos roupa, defini que vou usar só uma calça jeans toda semana, e vario 3 ou 4 blusas. Assim não perco muito tempo escolhendo o que vestir antes de sair, mas preciso melhorar esse método.

Com os sapatos é completamente diferente: em 99% das ocasiões eu uso um All Star (sempre o mesmo, apesar de ter dois); se eu quiser me arrumar mais, uso sapatilha; se estiver chovendo, uso botas ou minhas galochas; e por fim, se fizer calor, sandálias. Meus sapatos têm cores mais neutras, então são fáceis de combinar.

Comida: como já disse aqui, escolho um tipo de comida para fazer e comer durante a semana toda, então não me preocupo. Mas se vou a um restaurante, a coisa já complica… Tanta comida boa e diferente para escolher, sempre acho que estou “perdendo” alguma coisa!

Ainda existem outras pequenas escolhas diárias que são inofensivas, mas não vou detalhar aqui. Quero seguir o conselho da matéria, restringir minhas opções e escolher menos;  já sei que isso vai dar trabalho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s