Minimalismo: filosofia x estética

O post de ontem rendeu ótimos comentários, em especial este da Mary, do qual gostei tanto que pedi para publicar aqui como adendo ao que escrevi ontem. Segue o comentário dela:

Eu acho que o grande problema é que hoje as pessoas confundem filosofia minimalista com estética minimalista, e apesar te existir uma pequena relação aí, uma coisa não depende da outra. A estética minimalista de que você fala no post está mesmo em alta, e eu também tô meio enjoada de ver por aí. Mas uma pessoa ter uma casa toda preta, branca e cinza não quer dizer que você é minimalista, alias pode ser até o contrario, como você bem disse. A filosofia minimalista, por outro lado, é isso mesmo, uma forma de vida que, sem querer soar clichê, vem de dentro, tem a ver com organizar primeiro nossa mente, nossos valores, é só depois, por consequência, vem se refletir na nossa vida diária. É como eu escrevi uma vez num post que eu fiz, uma citação que li em algum lugar: minimalismo não é ter uma quantidade pequena de coisas, mas a quantidade perfeita delas. O que acontece hoje é a estética minimalista, que é outra coisa, sem banalizou por aí e as pessoas confundem as coisas. Mas pra mim, minimalismo como forma de vida não está sujeito à essa estética. E por causa dessa confusão, vemos conteúdos com conceitos trocados por aí, e fica difícil pra quem de fato quer estudar o tema encontrar material de qualidade. Em outras palavras, encerrando esse textão, uma pessoa minimalista pode viver numa casa toda colorida, enquanto alguém que vive numa casa toda nórdica e pálida pode não fazer ideia do que é minimalismo….

Obrigada pela reflexão , Mary!

Anúncios

5 comentários sobre “Minimalismo: filosofia x estética

  1. Descobri seu blog hoje e estou tão feliz!
    Pesquisei bastante sobre minimalismo, mas acabava caindo na estética minimalista e armários capsulas com itens essenciais e me desanimava. Você me inspirou bastante, obrigada =)

    • Oi Natalia, obrigada por comentar! Até eu que, estou há um tempo nesse meio, fico cansada dos armários-cápsula, destralhes infinitos e etc. Fico feliz que você tenha gostado do blog. Abraços!

  2. Simplesmente um tapa na cara desse pessoal que pensa que entende tudo de minimalismo e “caga” regras para tudo, eu mesma assumo que estou aprendendo a desapegar coisas de casa que já não quero e insisto em guardar. Quanto ao estilo minimalista sofro bastante, as pessoas não entendem que acho muito mais prático me vestir com cores neutras em roupas de cortes simples, mas é libertador. Sonho com o dia que deixarei minha casa assim como eu me visto. Sabe para mim minimalismo é se desligar da opinião dos outros, se eu quiser a casa toda branca com somente um sofá na sala terei assim como se eu quiser pintar cada parede da casa de uma cor.

    • Concordo, Ane! Desapegar é necessário, mas a “estética” é opcional. Eu também adoro o estilo minimalista no visual e na casa, mas temos que lembrar que a prática do minimalismo vai além disso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s