DIY – Revitalizando roupas com corante

Tenho uma calça jeans preta que veste muito bem e está conservada, mas que infelizmente desbotou e estava bem feia. Comprar outra seria um desperdício, então resolvi tingir a calça para recuperá-la. Aproveitei para fazer o mesmo com dois tapetes de banheiro que estavam manchados de água-sanitária.

Já tinha usado corante para tecido em dois projetos: as almofadas do meu quarto e a cortina de pia da cozinha, então não tive dificuldade em trabalhar com esse material.

20180329_153231

Corantes que usei: um para algodão e outros tecidos, outro específico para jeans

Segui as instruções específicas de cada vidrinho – o procedimento é diferente para jeans e algodão, e tingi primeiro a calça, depois os tapetes. Lavei, coloquei no varal para secar e pronto. Os resultados foram esses:

pixlr (1)

Calça jeans: antes e depois

A foto está péssima, mas a calça ficou bem preta, parece nova. Não tem nenhuma mancha e todo o desbotado feio sumiu!

pixlr

Tapetes: antes e depois

O tapete mais escuro ficou bom, as manchas de água sanitária desapareceram, já o tapete mais claro ficou um pouco manchado. Acredito que isso aconteceu porque coloquei os dois tapetes juntos no caldeirão para tingir. Da próxima vez coloco uma peça por vez.

O custo total do projeto foi R$ 3,00, já que eu tinha o vidro de corante azul (comprei muito quando tingi as almofadas), só comprei o corante para jeans.  Sucesso!

Anúncios

O pior dia da minha vida

Esse texto é só um relato de algo que ocorreu na minha vida, não nenhuma relação com minimalismo.

Domingo passado (18/02), acordei ouvindo um barulho no meu banheiro, fui ver o que era, e qual não foi minha surpresa ao abrir a porta e ver que o cômodo estava completamente alagado de esgoto, que estava vindo do ralo do chuveiro e estava prestes a alagar o meu quarto também.

Minha primeira reação foi pegar umas toalhas e colocar na soleira da porta para tentar conter a água, depois disso liguei para um bombeiro que conheço e ele me orientou a tampar o ralo com alguma coisa e falar com a administração do prédio imediatamente. Liguei na portaria, a síndica e o zelador não estavam, porque eles não trabalham no domingo. Então calcei meus tênis, amarrei uma sacola em cada pé, peguei umas luvas de limpeza e entrei no banheiro alagado para tentar tampar o ralo.

Peguei o tapete do banheiro – que já estava arruinado mesmo – e enfiei no ralo. Não funcionou, então peguei uma toalha e enfiei lá também. Nessa hora o esgoto começou a escorrer para o quarto, então peguei mais toalhas e coloquei na porta para tentar conter.  Fui na portaria, ligaram para a síndica, e ela disse que ia chamar uma empresa de desentupimento para resolver o problema.

Voltei para o apartamento, as toalhas que coloquei na soleira da porta já estavam ensopadas e a água estava já tinha escorrido para metade do meu quarto. Como não tinha mais o que fazer, fiquei esperando o pessoal chegar.

O zelador e o funcionário da empresa de desentupimento chegaram e resolveram o problema, mas não sabem o que o causou. Parece que algo entupiu a saída de esgoto entre o meu apartamento e os de baixo, e o esgoto que vinha dos apartamentos de cima não tinha por onde sair e acabou indo para o meu apartamento. Eles tiraram algumas coisas de dentro do cano, mas disseram que o que tinha de maior desceu.

Depois disso, sobrou a bagunça para eu arrumar. As toalhas estavam inutilizáveis, vi que no desespero eu acabei colocando todas na porta, então eu não tinha mais nenhuma toalha em casa. Precisei jogar todas fora. Limpei a casa toda, o zelador deixou uns galões de cloro e desinfetante para mim e eu usei quase tudo no quarto e no banheiro. Eu consegui salvar a cortina do chuveiro e o armário do banheiro, que está utilizável apesar de ter ficado molhado na parte de baixo (ele é de MDF). O chão do meu quarto, que é piso vinílico, ficou inchado e está descolando em algumas partes.

Depois de toda essa confusão, recebi algumas toalhas de doação e também comprei algumas novas, mas ainda preciso repor outras coisas que perdi. Estou bem triste pelo chão porque o achava super bonito, mas acho que o dono do apartamento não vai querer gastar dinheiro para trocá-lo. Felizmente ele sabe do que aconteceu então não serei responsabilizada pelo estrago quando terminar o contrato.

Quando conto essa história para as pessoas, muitas me dizem “Nossa, como você é forte! No seu lugar, eu teria sentado e chorado.”  Sinceramente, não acho que eu poderia ter feito diferente. É lógico que eu fiquei em choque na hora, mas se eu mesma não fosse resolver o problema, ninguém mais resolveria para mim. Morar sozinha é isso, né?

Enfim, o que passou passou, mas eu não desejo uma coisa dessas nem para o meu pior inimigo.

Dicas para facilitar a temida faxina de fim de ano

Faz um tempinho que alguém chegou no blog através da busca “tarefa difícil faxina de fim de ano” , e eu fiquei guardando a ideia para fazer um post a respeito até hoje. Já dei algumas dicas sobre limpeza da casa, e aqui vão algumas especiais para o fim do ano:

Não deixe todas as tarefas para o fim do ano: essa dica pode parecer um tanto cretina, especialmente porque já estamos em Dezembro, mas o fim do ano costuma ser uma época estressante e atarefada para muitas pessoas, então quanto mais adiantada estiver a faxina, melhor.  É interessante dividir as tarefas mais pesadas ao longo dos meses e fazer apenas uma limpeza mais geral nas últimas semanas do ano, para deixar a casa pronta para as festas.

Faça uma lista e um cronograma: dividindo ou não as tarefas ao longo do ano, é bom ter uma lista do que deve ser feito, idealmente com um cronograma. Assim você evita esquecimentos e pode calcular o quanto vai demorar – o que ajuda na hora de definir o que realmente vale a pena ser feito e o que pode esperar até a próxima faxina. Esse checklist do Vida Organizada é uma ótima base para quem não sabe por onde começar.

Use produtos naturais/feitos em casa: produtos de limpeza são caros, mas podem ser substituídos sem problema por alternativas mais baratas. No blog Um Ano Sem Lixo tem várias receitas simples que podem ser feitas em casa. Eu mesma já testei e aprovei o desinfetante de frutas cítricas!

Chame todo mundo para ajudar: morando sozinha, só posso contar comigo mesma para a faxina (por isso que divido as tarefas ao longo do ano, ou não dou conta! 😐 ), mas quem mora com mais pessoas pode distribuir as responsabilidades da limpeza. Se cada morador fizer a sua parte, a faxina acaba muito mais rápido!

Mais posts sobre limpeza da casa:

Espero que as dicas tenham sido úteis. Boa faxina, e que sua casa fique bem limpinha nesse fim de 2017! 😀

3 dicas de limpeza que fizeram a diferença na minha vida

Como única responsável pela limpeza do meu apartamento, eu vivo procurando dicas (ou lifehacks, como gostam de dizer hoje em dia) para facilitar o meu trabalho. Aqui estão três dicas que eu testei e aprovei:

1 – Tirar manchas das paredes com pasta de dente: sinceramente, essa é a melhor dica  de limpeza que eu já recebi na vida! 😀  Basta colocar um pouco de pasta de dente sobre a mancha, esperar alguns segundos e remover com um pano úmido. Usei essa técnica para limpar marcas de lápis quando eu pintei as paredes da sala e do quarto, quando pendurei alguns quadros, e para tirar manchas ocasionais. É super rápido e funciona de verdade.

2 – Cobrir o topo dos armários com filme plástico: faça isso e, quando chegar a época da faxina, simplesmente substitua o pedaço de filme plástico por outro, ao invés de passar horas esfregando uma gosma de poeira e gordura.

3 – Usar vinagre para limpeza geral: fiz a receita de vinagre aromatizado do Um Ano Sem Lixo e estou usando diluído em água para limpar o chão. Tem o mesmo efeito que esses limpadores multiuso, com a vantagem de ser mais barato. O próximo passo é testar o vinagre para limpar superfícies (móveis/fogão/etc).

20170917_105152

Meu vinagre aromatizado com cascas de limão.

Vocês tem alguma dica boa de limpeza? Compartilhem comigo nos comentários!

Desafio: Faxina em Setembro

Nesse mês que passou, o Apartment Therapy lançou mais um desafio de organização de destralhe da casa – o September Sweep. O site postava apenas uma tarefa por dia, então eu resolvei escrever sobre do desafio apenas no final. Segue a lista de tarefas (as descrições completas estão no link anterior):

  1. Defina onde você vai armazenar os itens dos quais pretende se livrar.
  2. Coloque os cabides ao contrário no guarda-roupa, para identificar mais facilmente as roupas que não são usadas com frequência.
  3. Identifique o lugar com mais tralha acumulada e remova uma coisa de lá.
  4. Cronometre 20 minutos para arrumar a entrada da sua casa. Tire uma coisa da área da bagunça.
  5. Lide com a sua papelada e tire uma coisa da área da bagunça.
  6. Remova a maior quantidade possível de tralha do seu quarto em 20 minutos. Tire uma coisa da área da bagunça.
  7. Esvazie os armários e gavetas da cozinha e avalie o que guardar/jogar fora antes de arrumar tudo. Tire uma coisa da área da bagunça.
  8. Cronometre 20 minutos e tire o máximo de tralha possível do home office. Tire uma coisa da área da bagunça.
  9. Arrume os lugares onde você armazena comida. Tire uma coisa da área da bagunça.
  10. Tire o máximo de tralha possível da sala em 20 minutos. Tire uma coisa da área da bagunça.
  11. Livre-se de toda tralha relacionada a projetos e artesanato. Tire uma coisa da área da bagunça.
  12. Descubra jeitos de evitar trazer tralha para a casa. Volte à área da bagunça e tire uma coisa de lá.
  13. Escolha uma coleção de mídia para reduzir e trabalhe nisso. Tire uma coisa da área da bagunça.
  14. Avalie suas coisas de valor sentimental e defina o que não vai mais guardar. Tire uma coisa da área da bagunça.
  15. Identifique os cômodos ou espaços que tem mais tendência a atrair bagunça e crie neles uma mini “zona de tralhas”. Tire uma coisa da área da bagunça.
  16. Cronometre 20 minutos e remova o máximo possível de tralha do seu banheiro. Tire uma coisa da área da bagunça.
  17. Analise seu guarda-roupa e identifique pelos cabides as roupas que não foram usadas nesse período . Tire uma coisa da área da bagunça.
  18. Avalie as coisas que você guardou na caixa de “decidir o que fazer” e dê um destino a elas. Tire uma última coisa da área da bagunça e coloque nas caixas de “doar” ou “vender” ou jogue fora imediatamente.
  19. Lide com tudo o que você guardou nas caixas de “doar” e vender”.

Como foi o desafio para mim:

As tarefas de destralhar cada cômodo em 20 minutos eu nem precisei fazer, já que não costumo deixar bagunça em nenhum lugar da casa – se deixo por um dia, arrumo assim que posso. O que mais gostei foi identificar a minha “zona de tralhas” – minhas caixas de materiais para projetos e componentes de eletrônica – e tirar de lá tudo o que não uso. E como tinha coisa inútil nelas!

Duas coisas que ainda não fiz:

  1. Destralhar meus objetos de valor emocional, porque a grande maioria deles não fica no meu apartamento, mas em um baú na casa da minha mãe. Esse baú com certeza vai merecer um post só dele!
  2. Lidar com tudo o que guardei na caixa de doar/vender. Ainda não tive tempo.  😦

As fotos abaixo mostram os resultados do desafio:

20170917_134003

Coisas que vão ser doadas

Decidi doar todos os materiais de eletrônica que usei durante a faculdade, e os materiais de artesanato eu vou levar para a minha mãe.

20170917_133940

Coisas que foram jogadas fora

Uma sacola cheia de papéis e caixas de eletrônicos, outra com plásticos diversos, outra com não-recicláveis, uma prateleira de alumínio – tudo foi para a lixeira mais adequada. Os eletrônicos e pilhas eu não descartei ainda, já que não podem ser jogados no lixo comum. Sei de uma empresa em BH que recolhe, vou entrar em contato com eles.

Esqueci de tirar foto das roupas, mas o que eu tirei do meu armário foi:

  • 3 vestidos
  • 2 calças jeans
  • 1 short
  • 1 par de brincos
  • 1 gargantilha
  • 3 camiseta
  • 1 par de botas

Já posso considerar que a tradicional faxina de primavera da minha casa está prontíssima! Quem quiser aproveitar a lista para fazer uma faxina de Outubro, ou Novembro…

 

DIY – Caixa organizadora de rolos

Nos posts da semana passada sobre a reorganização da minha cozinha eu mencionei que fiz uma caixa para colocar rolos de papel-alumínio e afins. Minha inspiração foi um post do Apartment Therapy, mais precisamente essa imagem:

Fonte: Apartment Therapy, post linkado acima.

Não queria pendurar nada na porta do armário, então imaginei que poderia reciclar qualquer caixa para fazer um organizador parecido. Usei uma caixa de cereal, e fiz o seguinte:

  1. Fiz um corte com estilete no meio da caixa e nas laterais, dobrei, e colei uma metade na outra.
  2. Cobri a caixa com papel branco, depois com um papel estampado que tinha em casa, para ficar mais bonito.
  3. Revesti a caixa com papel contact para proteger de gordura ou eventuais manchas de comida.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui está o resultado:

20170807_222635

Simples, né? Agora meus rolos estão organizadinhos e não ficam expostos do lado de fora do armário.

Reorganizando a minha cozinha (Parte II)

Como prometido no post de segunda-feira, aqui estão os resultados da reorganização da minha (mini) cozinha:

20170826_104820

Prateleiras organizadinhas

Na prateleira mais baixa eu coloquei os itens que uso quase diariamente: latas de café e açúcar, caixa de chás, cafeteira e temperos. Usei um organizador de prateleira para dispor os potes de temperos em duas camadas e facilitar a visualização (aproveitei que estive em São Paulo no início do mês e comprei esse na Daiso, baratíssimo). Na prateleira mais alta eu coloquei os itens que uso menos, como a garrafa térmica, cestos organizadores e potes de vidro.

O armário agora está bem mais organizado:

20170826_121320

Na prateleira de cima ficam as vasilhas de plástico, na de baixo ficam os mantimentos.

20170826_121343

No espaço sem prateleira: mais mantimentos e outras utilidades de cozinha

Fiz uma caixa especial para armazenar os rolos de papel-alumínio, papel-manteiga e papel-filme, além das caixas de saco ziplock. A única coisa me incomodando é o rolo de papel-toalha, quero arranjar um lugar melhor para colocá-lo.

Nos nichos laterais do armário ficaram um pote com saquinhos de aveia e castanhas, e outros temperos mais “feios” que eu não quis colocar na prateleira: shoyo, molho de pimenta e vinagre.

20170828_222129

Nada de rolos de papel alumínio escapando dos nichos

Estou finalmente livre da bagunça na cozinha! Anda sofro com uma séria falta de espaço, mas pelo menos tenho um acesso mais fácil aos alimentos e aos utensílios quando quero cozinhar. Ainda sonho com uma cozinha onde também caibam a minha geladeira e minhas panelas, mas essa nova organização já foi um progresso ! 😀

Reorganizando a minha cozinha (Parte I)

Como vocês já sabem, moro num apartamento bem pequeno, e a minha cozinha é uma das menores que já vi.  Essas fotos mostram bem a gravidade da situação:

Com tão pouco espaço disponível,  armazenar mantimentos e utensílios de culinária apenas na cozinha é impossível, por isso eu fiz a seguinte divisão: panelas e eletrodomésticos ficam no paneleiro, na sala, comidas e vasilhas de plástico ficam no armário da cozinha. Não sei se mencionei antes, mas a geladeira também fica na sala. 😀

Tudo estava indo mais ou menos bem até eu precisar trocar o armário da cozinha – acabei comprando um ligeiramente menor, e então todo o esquema de organização que eu mostrei no link anterior foi por água abaixo. Meu armário novo estava super bagunçado e muita coisa não cabia:

Depois de quebrar a cabeça tentando achar a melhor solução, resolvi optar pelo mais óbvio e instalar duas prateleiras na parede oposta ao armário. Não gosto muito de prateleiras porque meu apartamento acumula muita poeira, mas eu não tinha outra opção.

Instaladas as prateleiras, o passo seguinte foi definir o que eu colocaria nelas: queria deixar apenas os itens “menos feios” expostos. Isso levou a uma terceira reorganização dos meus temperos (já fiz assim e assim). Como passei a comprar a granel, eles não cabiam mais nos potinhos onde eu costumava guardá-los, então resolvi colocá-los em potes de vidro reaproveitados de geleias, molhos e afins.

20170715_154844

Escrevi o nome de cada tempero em seu respectivo pote, com caneta marcadora (a mesma que eu usei para decorar a parede do quarto!)

Também comprei duas caixas organizadoras empilháveis para guardar os temperos que sobraram:

No próximo post eu mostro como a cozinha ficou!

DIY – Instalando uma cortina para pia

Uma das desvantagens de morar de aluguel é não poder fazer certas mudanças na casa – por falta de permissão, de dinheiro ou de ambos – então precisamos dar um jeito com o que temos em mãos. Às vezes, isso significa adotar tendências que odiamos: no meu caso, a famosa cortina de pia.

20170421_200030

Como era a pia antes

Na minha cozinha não tem armários sob a pia, e ultimamente eu estava ficando cada vez mais incomodada com a feiura das coisas embaixo dela (botijão, lixeira e sacolas de lixo reciclável), mas não conseguia pensar num jeito de escondê-las. Como mandar fazer um armário é inviável, a única alternativa foi instalar uma cortina.

Os materiais que usei foram:

  • Varão extensível
  • Suportes para varão
  • Argolas com clipe “jacaré”
  • Um pedaço de algodão cru

Para instalar o varão, colei os suportes na parte de baixo da pia com cola quente, já que não tinha jeito de furar. Minha mãe cortou e costurou o pano da cortina, e eu tingi. Pendurei a cortina com as argolas e pronto.

  Desculpem a louça suja na foto

Não vou dizer que está bonito, mas ficou o melhor possível dentro das circunstâncias. Pelo menos não tem mais lixo exposto na cozinha! Só espero que meu próximo apartamento tenha armários.  😀

5 habilidades que ajudam a economizar dinheiro (e tempo)

A princípio, o título desse post seria “5 habilidades essenciais para quem mora sozinho”, mas eu percebi que tudo na lista é importante para qualquer pessoa que precise “se virar” algum dia na vida, morando sozinha ou não! Vamos a elas:

Cozinhar: essa é primordial. Não precisa ser um chef, mas é importante saber o básico: um arroz, um macarrão, uma carne… Cozinhar em casa quase sempre é mais barato que comer fora, e costuma ser mais saudável também, já que a maioria dos deliverys é de fast-food. Sem contar que, ao saber cozinhar, você fica menos dependente de outras pessoas – não foram poucos os casos que ouvi de homens que ficam com fome em casa esperando a esposa chegar pra fazer a comida! Por favor, né?  😀

Fazer serviços domésticos básicos: varrer e passar pano no chão, lavar a louça, lavar roupa e etc até hoje são serviços bem simples que mantém uma casa limpa. Infelizmente, assim como cozinhar, esse trabalho é visto como obrigação feminina, mas como já disse nesse post, todos que compartilham uma casa devem se responsabilizar igualmente pelas tarefas. E quando a pessoa mora sozinha, é bom que ela saiba fazer o básico, assim não precisa gastar com faxineira. E mesmo que você contrate uma diarista de vez em quando, que coisa feia deixar a casa imunda só porque alguém vai limpar depois, não?

Fazer pequenos reparos em casa: trocar lâmpada e resistência de chuveiro, consertar torneira pingando, furar parede… Esses serviços são considerados masculinos, mas podem (e devem) ser feitos por qualquer pessoa. Desde cedo, na minha casa não tinha nenhum homem para fazer essas tarefas (meu pai morreu quando eu era bem nova), minha mãe fazia quase tudo e eu aprendi com ela. Morando sozinha, vi que chamar um profissional para fazer reparos sai caro, então eu faço tudo o que consigo. Tem muitos tutoriais na internet, a maioria das coisas não é tão difícil quanto parece.

Costurar: remendar buracos e pregar botões são o básico do básico (e são tudo o que eu sei!). Outra atividade considerada feminina, mas que deveria ser ensinada a todos. Afinal, se um botão cai da sua camisa, o que você, homem que mora sozinho, vai fazer? Levar na costureira? Pedir para a sua mãe colocar de volta? Jogar a camisa fora? Economize tempo e dinheiro (e a paciência da sua mãe) e pregue seus próprios botões!  😀

Fazer orçamento: o primeiro passo para controlar as finanças é fazer um orçamento. Para quem mora sozinho ou quer morar em breve, ter uma noção dos gastos é muito importante, pois manter uma casa é um gasto e tanto. Quem não tem experiência pode começar apenas anotando os gastos diários em um caderno, só para ter uma ideia de onde seu dinheiro está indo. Depois, pode passar tudo para uma planilha do Excel ou usar um desses inúmeros aplicativos de controle de finanças.

Vocês leitores acrescentariam alguma coisa à lista? Me contem nos comentários.