De volta (outra vez)

Por muito tempo eu pensei se deveria escrever esse post ou não, e decidi escrever porque 1) mal não vai fazer e 2) acho que falar sobre o assunto vai me ajudar um pouco.

Já reclamei bastante aqui sobre como o ano passado foi difícil, como vários meus planos tinham ido por água abaixo e como eu estava sem ânimo para escrever no blog. Depois de lidar com alguns problemas de saúde, no início do mês eu fui diagnosticada com depressão e síndrome do pânico. Desde então eu tenho feito um tratamento (com terapia e remédios) que está previsto para durar pelo menos um ano.

Também estou tentando reorganizar a minha vida aos poucos, e voltar com alguns hábitos que larguei ao longo de 2017 – escrever nesse blog é um deles. Minha meta é voltar a fazer posts semanais (toda segunda-feira) e alguns extras de vez em quando.

Obrigada a todos os leitores que ainda acessam e não deixaram o blog morrer! 😀 Aos poucos o Meu Diário Minimalista estará de volta.

Anúncios

Em 2018 eu vou…

Será que é muito tarde para definir resoluções de ano-novo?

2017 foi um ano difícil e eu acabei não fazendo quase nada do que eu queria, fiquei bastante desanimada.  O início deste ano também não foi nada fácil, mas estou tentando me organizar e fazendo o possível para ter um 2018 razoável, pelo menos. 😀

Essas são minhas metas para o ano:

  1. Fazer pós-graduação: ano passado esse item foi um extra, mas esse ano ele é oficial: já estou inscrita no curso de pós-graduação em Engenharia de Software e, se tudo der certo, começo as aulas em abril.
  2. Cuidar melhor de mim: essa meta é bem genérica e inclui coisas como cuidar da minha saúde física e mental, melhorar meus hábitos etc. Eu tenho vários mini-itens para alcançar, mas como eles podem variar ao longo do ano, achei melhor escrever apenas a resolução-chave.

Dessa vez são só duas resoluções porque sei que vou ter bastante trabalho com elas.

Um bom fim de janeiro e 2018 a todos!

Dicas para facilitar a temida faxina de fim de ano

Faz um tempinho que alguém chegou no blog através da busca “tarefa difícil faxina de fim de ano” , e eu fiquei guardando a ideia para fazer um post a respeito até hoje. Já dei algumas dicas sobre limpeza da casa, e aqui vão algumas especiais para o fim do ano:

Não deixe todas as tarefas para o fim do ano: essa dica pode parecer um tanto cretina, especialmente porque já estamos em Dezembro, mas o fim do ano costuma ser uma época estressante e atarefada para muitas pessoas, então quanto mais adiantada estiver a faxina, melhor.  É interessante dividir as tarefas mais pesadas ao longo dos meses e fazer apenas uma limpeza mais geral nas últimas semanas do ano, para deixar a casa pronta para as festas.

Faça uma lista e um cronograma: dividindo ou não as tarefas ao longo do ano, é bom ter uma lista do que deve ser feito, idealmente com um cronograma. Assim você evita esquecimentos e pode calcular o quanto vai demorar – o que ajuda na hora de definir o que realmente vale a pena ser feito e o que pode esperar até a próxima faxina. Esse checklist do Vida Organizada é uma ótima base para quem não sabe por onde começar.

Use produtos naturais/feitos em casa: produtos de limpeza são caros, mas podem ser substituídos sem problema por alternativas mais baratas. No blog Um Ano Sem Lixo tem várias receitas simples que podem ser feitas em casa. Eu mesma já testei e aprovei o desinfetante de frutas cítricas!

Chame todo mundo para ajudar: morando sozinha, só posso contar comigo mesma para a faxina (por isso que divido as tarefas ao longo do ano, ou não dou conta! 😐 ), mas quem mora com mais pessoas pode distribuir as responsabilidades da limpeza. Se cada morador fizer a sua parte, a faxina acaba muito mais rápido!

Mais posts sobre limpeza da casa:

Espero que as dicas tenham sido úteis. Boa faxina, e que sua casa fique bem limpinha nesse fim de 2017! 😀

Aplicativos que me ajudam a controlar as finanças/economizar

No ano passado, escrevi um post listando alguns aplicativos que me ajudavam a cumprir tarefas e a manter minha vida organizada. Hoje vou falar sobre mais quatro apps que uso para manter minhas finanças em ordem e economizar dinheiro:

Minhas Economias

Quando falo sobre controle de gastos, eu sempre menciono o Minhas Economias porque é o gerenciador financeiro que uso, tanto a versão online quanto o aplicativo. As duas versões são boas, mas o app é bastante útil para cadastrar despesas e consultar o saldo das minhas contas rapidamente em qualquer lugar.

  Minhas Economias: captura de tela

 

Apps de bancos

Hoje em dia possuo contas em dois bancos diferentes, uma corrente e uma poupança. Gosto de usar os aplicativos de cada banco para consultar saldo, fazer pagamentos rápidos também sincronizar despesas com o Minhas Economias.

Splitwise e Tricount

Os dois aplicativos servem para organizar a divisão de gastos entre duas ou mais pessoas. Eles possuem funcionalidades diferentes, mas são bastante úteis para organizar desde a conta do happy hour até as despesas mensais de casa, fazendo divisões justas para que ninguém fique no prejuízo.

  Splitwise: captura de tela

Chama

Acho esse app maravilhoso, apesar de não ter utilizado ainda. O preço do gás de cozinha está cada vez mais abusivo, e as variações entre as distribuidoras são grandes. O Chama mostra o preço do botijão em cada distribuidora da região (de acordo com o endereço digitado) e permite que você faça o pedido pelo app. Ainda não precisei comprar gás desde que baixei o aplicativo, mas já vi que no meu bairro o preço varia até R$ 12!

  Chama - Seu app de pedir gás: captura de tela

 

Se alguém tiver mais dicas de aplicativos interessantes, por favor comente!

 

Todas as imagens do post foram retiradas do Google Play. Os links para as páginas dos aplicativos estão nos títulos.

Correndo atrás do prejuízo

2017 ainda não acabou, mas estive refletindo sobre os meses que passaram e percebi que o ano foi péssimo para mim – sem dúvidas, o pior desde quando comecei o blog. Quase tudo deu errado: fiz inúmeros planos que não consegui cumprir, negligenciei o blog, me afastei das minhas amigas, meu relacionamento entrou em crise, gastei dinheiro com coisas que não deveria e não gastei com o que deveria, não tirei férias, não consegui manter uma rotina diária e, para piorar, passei a ter crises de insônia que acabaram com o resto de disposição que eu tinha (e com a minha saúde também).

A única área da minha vida que continua bem é a financeira: continuo poupando todo mês, não fiquei endividada apesar dos gastos e estou pagando o FIES direitinho. Ainda que a situação pudesse ser melhor, nesse aspecto eu estou tranquila.

Depois de todos os problemas, resolvi parar um pouco: cancelei todos os planos que tinha para o fim desse ano e o início do próximo, estabeleci algumas tarefas para realizar até dezembro (exemplo: doar os resultados do último destralhe, que estou adiando até hoje) e agora vou refletir sobre o que me deixa insatisfeita na minha vida e o que posso fazer para melhorar. Sei que vai ser impossível resolver tudo de uma vez, mas qualquer progresso, por menor que seja, vai ser melhor do que essa sensação de estagnação que estou sofrendo ultimamente.

Por fim, não acredito que seja possível reverter o desastre que foi 2017 nesse último mês e meio, mas talvez eu consiga sair dele com um gosto menos amargo na boca – vamos torcer.

3 dicas de limpeza que fizeram a diferença na minha vida

Como única responsável pela limpeza do meu apartamento, eu vivo procurando dicas (ou lifehacks, como gostam de dizer hoje em dia) para facilitar o meu trabalho. Aqui estão três dicas que eu testei e aprovei:

1 – Tirar manchas das paredes com pasta de dente: sinceramente, essa é a melhor dica  de limpeza que eu já recebi na vida! 😀  Basta colocar um pouco de pasta de dente sobre a mancha, esperar alguns segundos e remover com um pano úmido. Usei essa técnica para limpar marcas de lápis quando eu pintei as paredes da sala e do quarto, quando pendurei alguns quadros, e para tirar manchas ocasionais. É super rápido e funciona de verdade.

2 – Cobrir o topo dos armários com filme plástico: faça isso e, quando chegar a época da faxina, simplesmente substitua o pedaço de filme plástico por outro, ao invés de passar horas esfregando uma gosma de poeira e gordura.

3 – Usar vinagre para limpeza geral: fiz a receita de vinagre aromatizado do Um Ano Sem Lixo e estou usando diluído em água para limpar o chão. Tem o mesmo efeito que esses limpadores multiuso, com a vantagem de ser mais barato. O próximo passo é testar o vinagre para limpar superfícies (móveis/fogão/etc).

20170917_105152

Meu vinagre aromatizado com cascas de limão.

Vocês tem alguma dica boa de limpeza? Compartilhem comigo nos comentários!

Desafio: Faxina em Setembro

Nesse mês que passou, o Apartment Therapy lançou mais um desafio de organização de destralhe da casa – o September Sweep. O site postava apenas uma tarefa por dia, então eu resolvei escrever sobre do desafio apenas no final. Segue a lista de tarefas (as descrições completas estão no link anterior):

  1. Defina onde você vai armazenar os itens dos quais pretende se livrar.
  2. Coloque os cabides ao contrário no guarda-roupa, para identificar mais facilmente as roupas que não são usadas com frequência.
  3. Identifique o lugar com mais tralha acumulada e remova uma coisa de lá.
  4. Cronometre 20 minutos para arrumar a entrada da sua casa. Tire uma coisa da área da bagunça.
  5. Lide com a sua papelada e tire uma coisa da área da bagunça.
  6. Remova a maior quantidade possível de tralha do seu quarto em 20 minutos. Tire uma coisa da área da bagunça.
  7. Esvazie os armários e gavetas da cozinha e avalie o que guardar/jogar fora antes de arrumar tudo. Tire uma coisa da área da bagunça.
  8. Cronometre 20 minutos e tire o máximo de tralha possível do home office. Tire uma coisa da área da bagunça.
  9. Arrume os lugares onde você armazena comida. Tire uma coisa da área da bagunça.
  10. Tire o máximo de tralha possível da sala em 20 minutos. Tire uma coisa da área da bagunça.
  11. Livre-se de toda tralha relacionada a projetos e artesanato. Tire uma coisa da área da bagunça.
  12. Descubra jeitos de evitar trazer tralha para a casa. Volte à área da bagunça e tire uma coisa de lá.
  13. Escolha uma coleção de mídia para reduzir e trabalhe nisso. Tire uma coisa da área da bagunça.
  14. Avalie suas coisas de valor sentimental e defina o que não vai mais guardar. Tire uma coisa da área da bagunça.
  15. Identifique os cômodos ou espaços que tem mais tendência a atrair bagunça e crie neles uma mini “zona de tralhas”. Tire uma coisa da área da bagunça.
  16. Cronometre 20 minutos e remova o máximo possível de tralha do seu banheiro. Tire uma coisa da área da bagunça.
  17. Analise seu guarda-roupa e identifique pelos cabides as roupas que não foram usadas nesse período . Tire uma coisa da área da bagunça.
  18. Avalie as coisas que você guardou na caixa de “decidir o que fazer” e dê um destino a elas. Tire uma última coisa da área da bagunça e coloque nas caixas de “doar” ou “vender” ou jogue fora imediatamente.
  19. Lide com tudo o que você guardou nas caixas de “doar” e vender”.

Como foi o desafio para mim:

As tarefas de destralhar cada cômodo em 20 minutos eu nem precisei fazer, já que não costumo deixar bagunça em nenhum lugar da casa – se deixo por um dia, arrumo assim que posso. O que mais gostei foi identificar a minha “zona de tralhas” – minhas caixas de materiais para projetos e componentes de eletrônica – e tirar de lá tudo o que não uso. E como tinha coisa inútil nelas!

Duas coisas que ainda não fiz:

  1. Destralhar meus objetos de valor emocional, porque a grande maioria deles não fica no meu apartamento, mas em um baú na casa da minha mãe. Esse baú com certeza vai merecer um post só dele!
  2. Lidar com tudo o que guardei na caixa de doar/vender. Ainda não tive tempo.  😦

As fotos abaixo mostram os resultados do desafio:

20170917_134003

Coisas que vão ser doadas

Decidi doar todos os materiais de eletrônica que usei durante a faculdade, e os materiais de artesanato eu vou levar para a minha mãe.

20170917_133940

Coisas que foram jogadas fora

Uma sacola cheia de papéis e caixas de eletrônicos, outra com plásticos diversos, outra com não-recicláveis, uma prateleira de alumínio – tudo foi para a lixeira mais adequada. Os eletrônicos e pilhas eu não descartei ainda, já que não podem ser jogados no lixo comum. Sei de uma empresa em BH que recolhe, vou entrar em contato com eles.

Esqueci de tirar foto das roupas, mas o que eu tirei do meu armário foi:

  • 3 vestidos
  • 2 calças jeans
  • 1 short
  • 1 par de brincos
  • 1 gargantilha
  • 3 camiseta
  • 1 par de botas

Já posso considerar que a tradicional faxina de primavera da minha casa está prontíssima! Quem quiser aproveitar a lista para fazer uma faxina de Outubro, ou Novembro…

 

Estou no Instagram!

Criei um perfil no Instagram recentemente, para postar as fotos que tiro por aí, e como alguns leitores já perguntaram das minhas redes sociais, resolvi divulgá-lo aqui. Meu username é @barbaraips, fiquem à vontade para me seguir – mas como é um perfil pessoal, não devo postar sobre minimalismo lá.

Antigo Colégio Técnico de Campinas

A post shared by Bárbara Perdigão (@barbaraips) on

 

3 dicas para ter um smartphone menos poluído

Minha eterna busca por uma vida mais simples também passa pelo smartphone: procuro deixá-lo o menos “poluído” possível, faço destralhes constantes, desligo a maioria das notificações, tento não ocupar toda a memória disponível… Aqui estão três dicas que me ajudaram bastante nesse processo:

1 – Ocultar aplicativos que não são usados:

A maioria dos smartphones vem com aplicativos nativos inúteis, mas que não podem ser desinstalados. Felizmente, é possível ocultá-los e impedir que eles poluam o menu do telefone. Tutorial aqui (para Android).

2 – Desativar o download automático de mídia:

Não basta as pessoas te adicionarem em grupos do Whatsapp, elas também precisam mandar várias imagens e vídeos inúteis (ás vezes até pornográficos) para encher sua galeria de imagens e comprometer a memória do telefone. Foi uma bênção descobrir que é possível desativar o download automático de mídia, e hoje em dia o aplicativo só me mostra uma foto se eu clicar nela para baixar,  e dependendo de quem mandou eu nem me dou esse trabalho. Tutoriais de como fazer isso no Whatsapp e no Instagram.

3 – Bloquear notificações de aplicativos:

Grande parte dos aplicativos oferece a opção de desativar notificações, mas não todos. Um exemplo: eu passei um perrengue por semanas com o app do Itaú me enviando notificações de “Faz tempo que você não acessa o app, sentimos sua falta!” até descobrir que uma configuração do celular me permite bloquear todas as notificações de um aplicativo. Para telefones Android, basta ir em Configurações > Sons e Notificações > Notificações de aplicativo e escolher o aplicativo que você deseja silenciar.


Quem tiver mais dicas de como simplificar o celular, por favor compartilhe nos comentários!

Observando a cidade

Durante a semana passada eu escutei uma série de podcasts chamada Bored and Brilliant,cujo objetivo é propor uma vários desafios para que os ouvintes larguem um pouco os smartphones e passem a exercitar a criatividade.

O desafio proposto para o quinto dia é ir até um lugar público e observar algo com atenção, ao invés de ficar concentrado no celular. Esse podcast me fez refletir um pouco mais sobre como eu tenho me tornado mais observadora, principalmente no que diz respeito à cidade onde eu vivo.

Ano passado eu comecei a seguir uma página no Facebook, a Casas de BH. Nessa página, um arquiteto posta várias fotografias de casas antigas que ele vê pela cidade. Eu, que achava as fotos sempre muito bonitas, passei a reparar mais  nas casas e prédios ao meu redor durante minhas andanças e acabei descobrindo muitas construções interessantes – algumas, inclusive, estavam no meu caminho diário para o serviço e eu simplesmente não tinha reparado antes.

Eu percebi há algum tempo que quando eu visito um lugar novo eu adoto uma postura diferente: observo a cidade com atenção e quero absorver o máximo possível, principalmente porque o tempo é curto e não é possível ver tudo. Agora, porquê não fazer isso na minha própria cidade? Eu moro em BH há 7 anos e não conheço vários lugares daqui. Para vocês terem uma ideia, eu moro praticamente do lado do Parque Municipal e há duas semanas pisei lá pela primeira vez desde que mudei pra cá. Eu vivia na cidade sem vê-la, de fato.

Hoje eu sou mais consciente do espaço ao meu redor quando me movimento pela cidade, fico atenta para novidades e principalmente para as construções antigas, que eu adoro ver. Também tiro algumas fotos, mas prefiro não fotografar tudo o que vejo porque a foto nunca sai tão bonita quanto o que está sendo fotografado! Por fim, às vezes eu fico curiosa sobre um prédio e acabo pesquisando sobre a história dele e aprendendo mais.

Em resumo, observar a cidade é gratificante para mim.

IMG_20170902_150825_605

Edifício Chagas Dória em BH