Resultado do Desafio Um Ano Sem Compras

Já começo admitindo que fracassei.

Iniciei o desafio em 01/02/2013 e, por pelo menos sete meses, resisti bravamente ao impulso de comprar coisas desnecessárias. Em agosto, fiz um post contando como tinha sido o primeiro semestre do desafio e, tirando algumas coisas que precisava realmente, comprei poucos supérfluos. Mas, a partir do final do ano, as coisas começaram a desandar…

Quando chegou dezembro – e com ele as festas de fim de ano – cismei que não tinha roupas adequadas e comprei algumas, além de acessórios, um sapato novo e também coisas para a casa (tive que comprar um filtro novo, e descobri que são caríssimos!). Não cheguei a gastar muito, nem comprei absurdamente – apesar de não precisar, tudo o que eu comprei foi/está sendo utilizado – mas, no fim das contas, fiquei com aquela sensação de culpa… Poderia ter tido mais força de vontade e esperado o fim do desafio.

Apesar de tudo, esse “ano mais ou menos sem compras” foi um grande aprendizado para mim: eu percebi o quanto gastava com coisas inúteis, quantas coisas desnecessárias eu tinha… Felizmente, pude deixar para trás a ideia de que preciso consumir para ser feliz. E são essas as lições que pretendo levar comigo daqui em diante. Não tive sucesso no desafio, mas a experiência valeu a pena.

6 meses de "Um Ano Sem Compras"

No dia 01/08, fez 6 meses que iniciei o projeto “Um Ano Sem Compras”. Quando comecei, eu sabia que seria difícil, mas é bem pior do que eu pensava. O problema é que realmente preciso de algumas coisas (meias novas, por exemplo), mas não quero largar o desafio no meio. Eu também acabei comprando outras coisas, algumas necessárias, outras não, e fico pensando que fracassei… Só que quando eu lembro do quanto eu costumava comprar no passado, percebo que estou mesmo é no lucro. Keep calm and carry on!

Desde Fevereiro até hoje, comprei:

  • uma carteira
  • um cabideiro para o meu quarto
  • um ralador
  • um amolador de faca
  • bloquinho de post-it
  • o uniforme do krav-magá
  • uma caixinha para resistores
  • cinco esmaltes
  • um acendedor de fogão
Só três coisas da lista acima foram supérfluas (os esmaltes, o bloquinho e a caixinha), mas em comparação com outras pessoas que estão realizando ou já terminaram o mesmo desafio, eu ainda estou muito “consumista”. Espero que nesse segundo semestre eu não compre nada desnecessário mesmo!

Projeto: um ano sem compras

Este é mais um projeto que eu achei em um blog sobre minimalismo (o Um Ano Sem Compras), e resolvi adotá-lo para a minha vida também. As regras que estou seguindo foram adaptadas do blog que citei, por isso estão praticamente iguais.
O que eu POSSO comprar:
  • Alimentos;
  • Produtos de limpeza;
  • Remédios e anticoncepcional;
  • Materiais escolares (lápis, borracha, caderno);
  • Componentes para qualquer projeto da Engenharia;
  • Gás e outros produtos necessários para a república, em divisão com as meninas;
  • Os seguintes serviços estão liberados contanto que usados sem exageros: 
    • ingressos e entradas para shows, peças de teatro, museus e cinema; 
    • consultas médicas, odontológicas ou outros procedimentos necessários para a minha saúde; 
    • refeições fora de casa (contanto que não sejam caríssimas);
    • costureira e sapateiro para realizar consertos simples;
O que eu NÃO POSSO comprar:
  • Roupas (inclusive meias, calcinhas e sutiãs);
  • Bolsas;
  • Qualquer tipo de calçado;
  • Acessórios;
  • Bijuterias ou jóias;
  • Produtos de beleza e maquiagem;
  • Eletrodomésticos, eletrônicos, apetrechos de informática;
  • Peças de enxoval (lençóis, colchas, toalhas de banho, guardanapos, panos de prato, etc.);
  • Utensílios para a cozinha ou para usar na casa;
  • Jornais e revistas;
  • Livros;
  • Todo tipo de objetos supérfluos ou que não sejam indispensáveis.
O que eu POSSO REPOR:
  • Produtos de higiene pessoal básica como: shampoo, condicionador, pasta de dentes, papel higiênico, absorventes, sabonetes, creme leave-in, cera para depilação.
Comecei este projeto no dia 01/02/2013, e posso dizer que estou seguindo as regras direitinho, exceto pelo fato de já ter comprado coisas. Eu comprei uma carteira nova (o a minha antiga não fechava mais – eu não ia correr o risco de o meu dinheiro cair por aí, né?) e um cabideiro para o meu quarto (as roupas sujas ficavam dentro do guarda-roupa, e isso só gerava mais bagunça). 
Provavelmente vou comprar mais se for necessário, mas não vou desistir do projeto por causa disso, principalmente porque ele está me ajudando a perceber o que é supérfluo e o que não é, e como eu lido com o consumismo. No começo foi bastante difícil, eu passava na frente das lojas e pensava em tudo o que eu “precisava” comprar mas não podia, mas hoje estou tranquila.  
Eu ainda tenho uma exceção para esse projeto: desde o início do ano estou juntando dinheiro para comprar um kindle (o Paperwhite), porque tenho vários e-books guardados no notebook, mas não tenho paciência para lê-los nele, e também para economizar com livros que eu compraria em papel.  Não penso em comprar nenhum e-book depois que adquirir o e-reader, a não ser que o George R. R. Martin lance o sexto livro das Crônicas de Gelo e Fogo, aí sim, serei obrigada a comprar! 🙂
Além disso, as regras estipulam que não posso comprar meias, mas não sei se vou considerar isso. Todas as minhas meias tem mais de dois anos de uso e já estão se desfazendo na parte do calcanhar, então estou pensando seriamente em comprar meias novas no meio do ano. 
Quando terminar o “ano sem compras”, vou postar um balanço do projeto e se valeu a pena ou não.