Limpando a casa em meio à correria do dia-a-dia

Conciliar a limpeza e organização da casa com os compromissos diários – trabalho, estudos, vida social, família, etc – costuma ser complicado.  Em fevereiro, a leitora Ane deixou o seguinte comentário em um dos posts:

Fico impressionada com quem consegue manter a casa linda e a cara também, mas confesso que quando só tem o fim de semana para tudo é meio complicado. Você algum post sobre limpeza/organização para quem tem uma vida agitada??

Prometi a ela falar sobre isso, e aqui está (finalmente)!Conheço três tipos de cronograma de arrumação da casa e já testei dois deles. São os seguintes:

  • Limpeza da casa em 1 ou 2 dias da semana: essa é a maneira com a qual eu lido com a arrumação da casa ultimamente. Costumo limpar a casa e fazer compras no sábado, e deixo as roupas lavando na máquina enquanto faço a faxina. Como meu apartamento é pequeno, em uma tarde dou conta de tudo. Quando estou muito cansada ou tenho outro compromisso no dia, limpo no domingo ou divido a limpeza em outros dias da semana.
  • Limpeza semanal: quando mudei para o meu apartamento, tentei dividir as tarefas de limpeza da casa ao longo da semana, como mostrei nesse post. O problema é que eu chegava tarde, já cansada, e não tinha ânimo para arrumar a casa e fazer outras coisas (cozinhar, por exemplo). Acabava deixando várias tarefas para o fim de semana, então resolvi voltar ao meu esquema anterior. Mas para quem tem tempo/disposição e prefere descansar no fim de semana, realizar as obrigações domésticas durante a semana é uma boa opção.
  • Limpeza mensal: vi esse esquema no Apartment Therapy, não testei porque achei que não seria adequado á minha rotina, mas deve servir para outras pessoas. Nessa limpeza mensal, você define uma quantidade X de tarefas necessárias e vai repetindo ao longo do mês. Ao fim de 30 dias, você limpou a casa toda pelo menos duas vezes.

E a faxina/limpeza pesada? existem várias opções: uma vez por mês, uma vez a cada X meses, duas vezes por ano (verão e inverno), uma vez por ano… Eu escolhi fazer esse tipo de faxina uma vez a cada ano, mas sempre um cômodo por vez. Por exemplo: em janeiro eu fiz uma limpeza profunda no banheiro, agora só ano que vem. A próxima é no quarto, e assim por diante. Mas não acumula muita sujeira? Não, por causa do que vou falar a seguir.

Tarefas “esquecidas”: quando foi a última vez que você limpou os interruptores e as tomadas da sua casa? E o interfone? E as lâmpadas? Existe uma série de itens passam batido na hora da faxina, e o jeito que eu achei para lidar com eles também foi inspirado pelo Apartment Therapy. Fiz uma lista com essas tarefas esquecidas e todo mês escolho uma para fazer durante a limpeza semanal. Assim eu não acumulo tantas tarefas para os dias de faxina pesada.

Outras dicas para facilitar a limpeza da casa:

  • Realizar algumas tarefas diariamente: eu arrumo a cama todas as manhãs e me esforço para não deixar louça suja na pia de um dia para o outro. Essas dias tarefas são super simples mas facilitam demais o meu dia-a-dia e deixam minha casa com um aspecto muito mais organizado.
  • Não deixar bagunça acumulada no chão, mesa ou bancadas: como todo mundo sabe, tralha só chama mais tralha.
  • Sempre guardar objetos em seus devidos lugares: quando cada coisa tem seu lugar, você perde menos tempo procurando quando precisa de algo.
  • Limpeza e organização contínua: lavar a louça enquanto cozinha ou depois de comer, guardar as roupas quando estiverem secas, lidar com a correspondência assim que chegar em casa…
  • Definir bem as tarefas: faça uma lista de tarefas diárias/semanais/mensais/anuais e a deixe em um lugar visível, assim você não esquece de nada.
  • Se puder, diminua a quantidade de enfeites e afins: quanto mais objetos expostos, mais poeira, e maior o tempo gasto para limpá-los. O mesmo serve para móveis.
  • Não se estresse: eu adoro manter minha casa limpa e arrumada, mas tem dias que é impossível. Seja pelo cansaço ou falta de tempo, se você não puder fazer uma ou outra tarefa, não se estresse. Facilite as coisas para você e tenha mais tempo para descansar e curtir sua casinha !

Adendo (02/05/17): esqueci de uma dica muito importante! Como moro sozinha, não passo por essa situação, mas é essencial que todos os moradores da casa dividam as tarefas. Se ajudou a sujar, precisa ajudar a limpar também! Hoje em dia a maioria dos serviços domésticos ficam a cargo das mulheres (sejam elas donas de casa ou não), e isso gera uma sobrecarga muito grande de trabalho. Quando todos colaboram igualmente, fica muito mais fácil manter o ambiente limpo e organizado, e ninguém fica atulhado de serviço.

Desafio: a Cura de Janeiro

A Cura de Janeiro (January Cure) é um desafio anual do site Apartment Therapy. Durante todo o mês, uma colunista do site propõe tarefas diárias para melhorar a casa. Foi a primeira vez que participei. Aqui está a lista de tarefas desse ano, e como eu realizei cada uma.

02/01 – Destralhe uma gaveta

Todos nós temos uma “gaveta da bagunça”, e a minha estava lotada de papéis inúteis (principalmente folhetos de delivery) e até um disjuntor velho. Estava adiando a limpeza dela, então essa tarefa veio em boa hora.

03/01 – Faça uma lista de projetos

Como pedia a tarefa, analisei cada cômodo do apartamento, listei os problemas que encontrei e o que poderia fazer para melhorar, e defini 3 projetos por cômodo para realizar esse ano.

04/01 – Limpe a despensa

A minha despensa nada mais é do que o armário aéreo da minha cozinha, e ele é tão pequeno que é praticamente impossível acumular muita coisa. De qualquer forma, tirei tudo de dentro dele, limpei bem e organizei melhor as vasilhas de plástico, os mantimentos e temperos.

05/01 – Crie uma caixa de saída

Já tenho uma caixa que fica no meu guarda-roupa, onde separo tudo o que não quero/preciso mais para doar.

06, 07 e 08/01 – Tarefa do fim-de-semana: Flores e pisos

Nesse fim de semana, a principal tarefa era limpar todos os pisos da casa. Considerando que já faço isso regularmente, não foi nada difícil completar. Também foi pedido que comprássemos flores frescas para a casa, mas eu não gosto de comprar flores fora dos vasos porque são caras e morrem rápido, então comprei um vasinho de cacto.

09/01 – Mini-meditação/Escolha um projeto

Dois trabalhos para hoje:

  1. Analisar um cômodo da casa e imaginar como seria mobiliá-lo e decorá-lo novamente.
  2. Escolher um dos projetos da lista feita no dia 03 para realizar ainda neste mês. Eu escolhi pendurar (finalmente) meus quadros na parede da sala.

10/01 – Limpe o guarda-roupa

Limpei e fiz o inventário anual, como vocês já viram aqui.

11/01 – Jejum de mídias

Essa tarefa foi relativamente fácil, já que só precisava ficar longe das redes sociais/celular/computador depois que chegasse em casa do trabalho. Me permiti usar o Kindle, então passei a noite lendo.

12/01 – Verifique as roupas de cama

Esse era o dia de analisar as roupas de cama/mesa/banho, separar as boas das ruins e colocar as que não eram usadas na caixa de saída. Tenho poucos itens desse tipo (falei sobre isso nesse post) e todos ainda estão em boas condições, então nada de destralhes nesse setor.

13, 14 e 15/01 – Tarefa do fim-de-semana: Uma cozinha mais limpa

A tarefa oferecia duas opções: limpar a cozinha “por dentro” ou “por fora”. Escolhi a segunda, então limpei o fogão e a geladeira, o armário, esfreguei bem a pia e lavei a lixeira (estava precisando!).

16/01 – Planeje uma reunião

A missão do dia era planejar uma reunião em casa com amigos e convidar todos. Como eu já tinha marcado um chá com uma amiga para a próxima semana, não tive trabalho nenhum.

17/01 – Limpe um armário

Escolhi dar uma geral nos armários do banheiro. Tirei tudo de dentro deles, limpei bem por dentro e por fora e reorganizei tudo.

 18/01 – Trabalhe no seu projeto

Enrolei nesse dia, tanto por falta de material quanto por preguiça. Acontece.

19/01 – Deixe a sala mais “leve”

A tarefa do dia consistia em retirar pelo menos três objetos de decoração da sala para deixá-la menos “entulhada”. Já não deixo muitos enfeites na minha sala, mas tirei um que seria retirado de qualquer jeito: o meu terrário, que estava sofrendo com fungos e precisava ser refeito. Minha sala ficou bem triste sem ele, na verdade. 😦

20, 21 e 22/01 – Tarefa do fim-de-semana: Um quarto melhor

Fiz uma boa faxina no quarto, tirei poeira de tudo (inclusive da lâmpada e do trilho da cortina), tirei os móveis do lugar para varrer e passar pano embaixo deles e aproveitei para realizar algumas tarefas que estava enrolando há um tempo, como lavar meus travesseiros e as capas das almofadas.

23/01 – Fique em dia com as tarefas

Aproveitei o dia para finalmente completar minha tarefa do dia 18: depois de meses enrolando, pendurei meus quadros e pôsters na parede da sala.

24/01 – “Ataque” ao banheiro

Foi uma tarefa difícil para uma terça-feira, mas como já tinha lavado a cortina do box, o tapete e as toalhas no fim de semana, só precisei esfregar os rejuntes, limpar as paredes de azulejo e lavar o chão.

25/01 – Área de chegada

A tarefa do dia é um hábito que já possuo há tempos: ter um lugar específico da casa para armazenar chaves, correspondências e bolsas/sacolas assim que chego em casa. Esse lugar, preferencialmente, deveria ser na entrada, mas não tenho espaço, então guardo tudo direto no meu quarto. Tenho até uma bandeja de cartas para isso. Apenas as chaves ficam na sala, no porta-chaves que eu fiz.

26/01 – Limpeza das superfícies

A tarefa pedia que guardássemos tudo o que estava fora de lugar, jogado em mesas ou no chão, mas eu nem precisei fazer nada porque tudo já estava no lugar. Sucesso!

27, 28 e 29/01 – Tarefa do fim-de-semana: Esvazie a caixa de saída

Levei todas as roupas que retirei do armário na limpeza desse ano para doação.

30/01 – Continue o bom trabalho

Por fim, o que precisamos fazer é continuar com hábitos que adotamos durante o desafio. A lista de projetos de melhoria para o apartamento é algo que vou aproveitar com certeza! Além disso, as tarefas de limpeza são ótimos guias para quando preciso fazer uma faxina mais pesada, vou consultar sempre.


Está aí um desafio que adorei participar. Fiz muita coisa que estava enrolando para fazer, consegui cumprir os prazos e, de quebra, deixei meu apartamento ainda melhor. Vou participar todo ano, com certeza!

DIY: Prateleira de corda

Resolvi aproveitar dois parafusos fixados na parede do meu banheiro para pendurar uma prateleirazinha de corda e melhorar um pouco a decoração/organização do ambiente. Essa prateleira foi um dos projetos mais rápidos e fáceis que já fiz, precisei apenas de:

  • 1 pedaço de madeira
  • Verniz
  • Cordão-de-São-Francisco
  • Furadeira

 

20161106_125527

Tábua preparada

A tábua sobrou de uma reforma na casa da minha mãe, a furadeira e o verniz eram dela, então meu único gasto foi com o cordão: 5 reais.

Tudo o que eu fiz foi medir o espaço entre os parafusos, furar a madeira de acordo (depois de envernizar), cortar pedaços do cordão, amarrar e pendurar. Para ficar mais bonitinho, usei uns nós náuticos fáceis para prender o cordão. E foi isso!

20161223_213654

Prateleira pendurada no banheiro

20170108_202334

Prateleirinha sendo usada ❤

Só peço desculpas pelas fotos ruins, a iluminação do meu banheiro é horrível.

DIY: Almofada degradê

Essa semana pude riscar mais um item da minha lista de desejos para o ano: consegui as duas almofadas grandes para colocar na minha cama. Minha ideia inicial era comprar, mas não achei nenhuma que me agradasse e tivesse um bom preço, então acabei pedindo para a minha mãe fazer para mim as almofadas em algodão cru, e decidi decorá-las eu mesma. Procurei no Pinterest algumas ideias de como pintar almofadas e gostei desse estilo degradê (ou dip-dyed, em inglês) da foto abaixo:

pixlr_20161108100443313

Inspirações que achei Pinterest

Pedi que a minha mãe fizesse as capas removíveis para poder pintar e lavar facilmente. Para decorar as almofadas eu usei um vidrinho de corante Guarany, e para conseguir o efeito degradê eu segui as instruções deste tutorial. No post a autora ensina a tingir uma blusa, mas o processo é o mesmo para qualquer produto têxtil (vi tutoriais para cortinas, meias, almofadas, camisetas…).

20161105_200608

Gambiarra no fogão para fazer o tingimento

Depois de tingir ambas as almofadas, deixei secando de um dia para o outro e pronto. O resultado vocês podem ver nas fotos a seguir. O desenho não ficou perfeito nem igual nas duas, mas como foi a primeira vez que me aventurei com tingimento de tecido, acho que ficou satisfatório! O custo total de material (algodão cru para as capas, tecido do forro, espuma e floco para o enchimento, corante) foi de 52 reais. Considerando que já vi por aí almofadas custando R$ 180 (a unidade!!!), ficou uma pechincha.

 

DIY – “Upgrade” na moldura do espelho

Quando comprei o espelho para o meu quarto, escolhi um modelo super barato e num tamanho adequado, mas não gostei de nenhuma das molduras disponíveis e acabei levando a “menos feia”. Não me preocupei muito com isso porque já sabia que poderia customizar a moldura, e foi o que fiz essa semana.

20161015_144102

Espelho antes da pintura

Usei tinta spray na moldura, era o jeito mais fácil e rápido de pintar. Escolhi dourado para combinar com a parede. Cobri a parte do espelho com jornal e fita crepe, e com duas demãos de tinta já estava tudo do jeito que eu queria. Esperei secar de um dia para o outro e pronto.

20161018_204043

Processo de pintura, super fácil

Tanto a foto do “antes” quanto a do “depois” não ficaram muito boas porque tirei quando o quarto estava com pouca luz, mas gostei do resultado. O espelho agora combina mais com a decoração do quarto e com o meu gosto. Ficou assim:

20161023_150435

Espelho com a “nova” moldura

Nada como uma lata de tinta spray para resolver as coisas, não é verdade?  😀

 

DIY: Parede decorada com marcador permanente

Ano passado decorei uma das paredes da minha sala com estêncil, como mostrei aqui no blog. No meu quarto também tinha uma parede vazia que estava me incomodando há tempos, mas eu não queria fazer estêncil de novo e não sabia como decorá-la. Colocar papel de parede estava fora de cogitação por ser muito caro, pintar também não era viável pelo preço e pela bagunça que faria… Passei meses e meses procurando inspiração no Pinterest, até que achei um tutorial bem interessante de decoração de parede com as famosas Sharpies (canetas permanentes).

20160907_104758

Como a parede era

Tudo o que eu precisava era: marcadores permanentes, régua e nível. Fiz as compras, enrolei um pouquinho e comecei o projeto no fim de semana do dia 10/09.

Tudo estava indo bem, já tinha pintado metade da parede quando a tinta das duas canetas que tinha comprado acabou. Aí começou o sufoco: rodei BH inteira e não achei mais desses marcadores de jeito nenhum! Só achava um kit que vendia 1 caneta dourada + 1 caneta prateada, mas não queria comprar e ficar com as canetas prata inúteis em casa. Comprei um marcador de outra marca que na loja parecia da mesma cor, mas quando cheguei em casa e risquei a parede, era completamente discrepante. Minha única alternativa foi comprar pela internet, e na loja online mais barata o frete custava o mesmo que três canetas. Como não poderia deixar o serviço pela metade, comprei.

O custo final foi de aproximadamente R$ 80,00 (6 marcadores, frete das compras online e 1 nível). Não ficou tão barato quanto eu gostaria mas ainda é infinitamente mais barato que papel de parede ou pintura. Se eu tivesse planejado melhor e comprado mais canetas na primeira vez, acho que o preço cairia pela metade… Fica o aprendizado.

Por fim, estou muito feliz com a decoração da minha parede! O resultado final é esse:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Houve um tempo…

…em que o estado do meu quarto era quase sempre esse:

399594996718055

Meu quarto super bagunçado em 2013

Ontem eu estava conversando com o meu namorado sobre quartos bagunçados e sobre como as pessoas podem “evoluir” e serem mais organizadas e mostrei essa foto pra ele.

É verdade que nessa época eu morava em república, tinha apenas um quarto minúsculo para armazenar todos os meus pertences e mal tinha tempo de pensar em arrumação com toda a correria de faculdade + estágio. Ainda assim eu conheci o minimalismo e resolvi seguir por esse caminho, e a minha evolução até agora foi gigantesca.

Ver essa foto depois desses anos me deixou bastante feliz, porque tive a confirmação de que todo o esforço que tenho feito para me livrar das tralhas, comprar menos e ser mais organizada tem dado certo.

Faxina e destralhe na cozinha

Como não tinha planos de viajar, aproveitei o feriadão de Páscoa para dar uma geral na minha cozinha. Tirei tudo do armário para limpá-lo, esfreguei as paredes de cima a baixo para tirar a gordura dos azulejos, limpei o fogão, a pia, o escorredor de pratos… Depois de 4 horas de faxina, resolvi organizar o meu paneleiro (apesar de ele não ficar na cozinha) e retirar algumas coisas que não uso.

Não foi um destralhe grande, até porque não tenho muito espaço disponível, então tento manter apenas objetos necessários em casa, mas quando fiz as compras para o apartamento acabei adquirindo coisas que achei que usaria, mas não foi o caso. Por isso, dei adeus para:

  • 1 escorredor de arroz
  • 2 potes de vidro
  • 3 facas
  • 1 tesoura para cortar carne
  • 1 marmita térmica + talheres

Com exceção dos potes de vidro, todos os itens estão em ótimas condições e serão doados.

É engraçado os sentimentos conflitantes que me vêm quando faço esses destralhes ultimamente: fico desapontada por retirar tão poucas coisas, mas no fim percebo que é porque não tenho muita tralha acumulada em casa. O minimalismo funciona, afinal! 😀

20160325_155829-1

Bye-bye tralhas da cozinha!

Organizando o armário da cozinha

O único espaço que tenho para guardar mantimentos na minha cozinha é um armário suspenso bem pequeno, de três portas. Por falta de espaço, também guardo os potes de plástico nele (tenho um paneleiro na sala, mas ele já está completamente ocupado por pratos/copos/fôrmas e outras coisinhas, então preciso aproveitar o espaço do meu armarinho da melhor forma possível.

A parte do armário onde eu guardo alimentos como arroz, açúcar, etc. era a mais desorganizada. Os potes que eu usava para armazenar os produtos eram cilíndricos e altos, e eu não podia empilhá-los, eles acabavam ocupando muito espaço. Para resolver isso, comprei um kit de três potes de plástico quadrados, empilháveis, para guardar meus mantimentos melhor. Ficou assim:

 

20151023_223609

Eu ainda não estava contente com essa organização, porque esses três potes maiores ocupavam espaço demais e, por eles terem uma abertura maior, despejar o conteúdo deles para outros recipientes (na hora de cozinhar, por exemplo) era sempre um problema. Então um dia, quando fui fazer compras em uma dessas lojas de coisas baratas para a casa, achei uns potes altos, com tampa dosadora, que em geral são usados para guardar sabão em pó mas podem armazenar alimentos também. Vi que eram o ideal para a minha cozinha, e comprei três pequenos. Um tempo depois, comprei três grandes. Como eles são empilháveis, agora tenho espaço para 6 potes onde antes guardava 3, o que melhorou muito a organização do meu armário.

Aproveitei e comprei etiquetas para identificar o conteúdo dos potes, e hoje a parte de mantimentos do meu armário está mais organizadinha.

20151209_234054

Além disso, substituí minha velhíssima lata reciclada de Pringles que usava para guardar macarrão por um porta-macarrão de verdade. 😀

20151023_180840

Quanto às outras partes do armário, eu ainda preciso me organizar melhor. Na do meio, eu guardo as vasilhas de plástico na prateleira de cima e “coisas de café” (caixa de chá, biscoitos, pão, etc.) e mais algumas vasilhas na de baixo. 20151209_234121

E na porta da direita, fica a minha conhecida caixinha de temperos na parte de baixo, junto com o pote de sal e latas de conservados (atum, etc.), e qualquer outro alimento que precise guardar. Na parte de cima, na caixa, eu guardo ingredientes para receitas (essência de baunilha, fermento, amido de milho, etc.). O restante da prateleira é ocupado por rolos de papel alumínio, filme plástico e papel manteiga.

20151209_234148

Gostaria de ter mais espaço para as minha coisas, mas numa micro cozinha fica difícil… Preciso me virar para otimizar a organização de tudo, mas aos poucos eu vou fazendo isso.

10 coisas que eu aprendi morando sozinha

Semana passada foi meu “aniversário” de 1 ano morando sozinha. Inspirada no post The Things Living Alone Will Teach You About Yourself , do Apartment Therapy, resolvi fazer uma lista das coisas que eu aprendi durante esse primeiro ano.

Morando sozinha, eu aprendi que…

  1. Os maiores problemas vão vir bem no início, e todos de uma vez: vazamento no banheiro, máquina de lavar que não funciona, chuveiro explodindo e mil outras coisas, todas elas apareceram nos primeiros meses depois que eu mudei, e foi bem desesperador. Eu perdi a calma muitas vezes, mas felizmente consegui resolver tudo da melhor forma possível.
  2. Decorar a casa é mais caro e complicado do que eu pensava: eu esperava que conseguiria decorar completamente o apartamento nesse primeiro ano – ledo engano! Ainda faltam algumas coisas, e não é sempre que tenho dinheiro para comprar o que quero (mesmo não querendo coisas caríssimas). É preciso ter paciência, no fim das contas.
  3. Não é fácil achar seu “estilo de decoração”: eu sei de que tipo de coisa eu gosto, mas não sei qual é o meu estilo propriamente dito.  Às vezes eu cometo erros, compro uma coisa e vejo que ela não ficou boa no apartamento, mas vou tentando contornar isso.
  4. Manter a casa limpa, apesar de ser difícil, é o melhor a fazer: minha limpeza diária da casa caiu por terra, porque eu simplesmente não tenho tempo nem disposição para fazer limpeza todos os dias. Agora eu limpo o apartamento e lavo roupa 1x por semana, e tudo bem. O importante é não deixar acumular sujeira, porque no final das contas, só vai sobrar mais trabalho para mim.
  5. É ok deixar certas coisas para depois: tudo bem deixar a louça suja na pia à noite e lavar só no outro dia. Tudo bem esquecer de lavar o pano de prato numa semana, tudo bem só guardar as roupas secas 3 horas depois de recolhê-las da máquina. Não é sempre que eu faço isso, mas às vezes eu estou cansada, e minha sujeira ou bagunça não vai afetar ninguém além de mim.
  6. Comprar e armazenar comida para uma pessoa só é bem complicado: eu gosto bastante de cozinhar, mas nunca acerto na quantidade de comida que devo comprar para a semana. Às vezes compro demais e perco algumas coisas. Às vezes compro pouco e no fim da semana não tem quase nada para comer em casa. Ainda preciso aprender a fazer isso direito.
  7. Lidar com as contas da casa é mais fácil do que eu imaginava: por incrível que pareça, eu efetivamente gosto de ir ao banco e pagar minhas contas. Nunca perco prazos (só uma vez esqueci de pagar a conta de luz no dia do vencimento 😦 ), costumo pagar tudo com pelo menos dois dias de antecedência, e sempre confiro se as contas no débito automático estão sendo pagas.
  8. Às vezes eu não tenho nada para fazer em casa… E isso é bom: de vez em quando fico à toa em casa, e se não quero ler/ver filmes ou séries/jogar no computador eu acabo fazendo um projeto DIY ou lidando com algum problema da casa que adiei. Às vezes fico entediada mesmo, e saio para um cinema ou algo parecido.
  9. Os erros que eu cometi serviram de aprendizado: com o registo de água que não funciona no meu apartamento, aprendi que sempre devo verificar registros quando visitar um lugar para alugar. Aprendi que posso fazer alguns consertos sozinha, e outros eu preciso chamar um profissional para fazer… E assim por diante.
  10. Não há lugar melhor do que o lar: todo dia quando eu saio do elevador e vejo a porta do meu apartamento no fim do corredor, eu já fico feliz. Todo dia quando eu chego em casa, abro a porta e vejo que está tudo do jeito que eu deixei, eu fico feliz. Eu não canso de repetir isso, mas morar sozinha foi a decisão mais certa que tomei, e depois de um ano e todos os problemas que tive que enfrentar, eu não me arrependi nem um pouco, porque eu sei que estou no “meu” lugar.