A tentação dos supermercados “chiques”

Costumo fazer minhas compras semanais em supermercados mais populares, que tem os preços mais baixos. Acontece que nem sempre encontro ingredientes para uma ou outra receita nesses mercados, então procuro nos estabelecimentos mais de classe média-alta (supermercados “de rico”, como costumo chamar), onde é mais provável achar itens incomuns.

Foi o que aconteceu nesse fim-de-semana. Queria fazer uma moqueca, precisava de caldo de camarão e não achei em lugar nenhum. Então, no sábado, fui com meu namorado em uma das lojas do Super Nosso. Nossa ideia inicial era comprar uma caixinha de caldo de camarão (se houvesse) e algumas frutas para fazer suco. Só que aí começamos a andar pelo supermercado, ver coisas “interessantes” em oferta… No fim das contas, saímos com 130 reais em compras, a maioria delas supérfluos como chás, molhos e temperos.

Está aí uma coisa que não consigo controlar ainda: a vontade de comprar “coisas gostosas” para comer ou usar em receitas. Geralmente eu sou bem prática na hora de fazer compras, faço listas, planejo, mas se aparece a oportunidade eu não penso duas vezes. Agora estou aí, com o orçamento comprometido até receber o salário em março. 😦

Meu namorado diz para eu não ficar triste e pensar que agora tenho várias comidas gostosas para preparar e comer, mas eu ainda me sinto mal por cometer um erro tão básico quanto fazer compras por impulso – já perdi esse hábito com roupas e todas as outras coisas, menos comida. Nessas horas vejo que tenho um longo caminho pela frente…

Novo jeito de organizar os meus temperos

Fiz um post há um tempo mostrando como eu organizava os temperos na cozinha. Era um jeito prático, mas com o tempo comecei a ter problemas porque o conteúdo dos pacotes de tempero nunca cabiam completamente nas caixinhas, então os restos nos pacotes ficavam misturados com as caixas, o que acabava causando sujeira e desorganização.

Antes de mudar, eu resolvi manter os temperos dentro dos pacotes até achar uma organização melhor. Até então eles estavam assim:

collage_20150105215749423_20150105215822862

Na internet existem vários posts em vários sites mostrando jeitos interessantes de organizar temperos. Os que me deram mais inspiração foram estes dois posts do site Apartment Therapy:

Resolvi que iria armazenar os condimentos em potinhos de vidro com tampas metálicas, e estes potinhos ficariam dentro de uma caixa organizadora. Comprei os vidrinhos em um site que vendia produtos para artesanato no atacado. Os produtos são bons, mas o pessoal que vendeu deixou a desejar: embalaram tão mal que alguns vidros vieram quebrados!

A cesta organizadora eu comprei nas Lojas Americanas, a grande custou R$ 8,99. É de plástico, mas é resistente.

Limpei os vidros e fui colocando os temperos e escrevendo os nomes nas tampas de cada um (com uma daquelas canetas Pilot para escrever em CD). O resultado final foi esse:

collage_20150105215928969

Como ainda tinha espaço na cestinha, coloquei outros condimentos maiores que costumo usar, para ficar tudo junto. Ficou assim:

collage_20150105220026950

Gostei muito dessa nova organização, cabe direitinho no armário da cozinha, e mantém os temperos juntos. Ainda tenho 6 potinhos de vidro sobrando, devo usar mais uns dois e manter os outros de reserva, caso algum quebre.

O quanto eu economizei levando o almoço para o trabalho

Como prometido, vou falar sobre o quanto eu economizei depois que passei a levar o almoço pronto de casa para o trabalho, ao invés de almoçar em restaurantes diariamente.

A tabela abaixo mostra os meus gastos com alimentação em Setembro (quando ainda almoçava fora) e Outubro (quando comecei a levar marmita).

Tabela de gastos com alimentação - Setembro e Outubro/2014

Tabela de gastos com alimentação – Setembro e Outubro/2014

Como vocês podem ver, meus gastos com restaurante caíram  65%. Os gastos gerais com alimentação foram 34% menores. Não parei totalmente de comer fora por dois motivos:

  1. Quando vou para a casa do meu namorado, costumamos comer num restaurante da vizinhança, ou pedimos comida.
  2. Às vezes a comida pronta acaba e eu fico com preguiça de fazer mais… Aí acabo almoçando fora mesmo, quando chego em casa à noite eu cozinho para os próximos dias.

Sei que, com um pouco mais de organização, posso diminuir ainda mais esses gastos, fazendo a comida de casa durar o tempo certo e, principalmente, diminuindo a quantidade de fast-food e lanchinhos. Ela foi praticamente a mesma nos dois meses!

Em resumo: economizei bastante, e espero economizar mais no futuro.  🙂

Desafio: R$250 de alimentação em Agosto – Considerações finais

Como vocês já sabem, a meta do desafio foi ultrapassada na Semana 3. Durante a última semana de Agosto (dia 24 a 31), gastei um total de  R$ 94, 93 reais com alimentação, divididos em: compras no supermercado/sacolão, gastos com restaurante e fast-food também. O total do meu gasto com comida, portanto, foi de R$ 374,96. Bem mais do que a meta estabelecida, mas menos que em Julho, o que é bom. O total dos gastos com cada setor foi de:

  • R$ 139,49 com compras no supermercado
  • R$  140,12 em restaurantes
  • R$ 95,35 em fast-food e lanches

O que eu aprendi com o desafio:

O que pesa no meu orçamento são duas coisas: comer em restaurantes (por causa do trabalho) e fast-food. Para diminuir o primeiro, só mesmo comprando uma marmita e levando comida de casa, e é isso mesmo o que eu estou pensando em fazer. O segundo gasto tem duas influências principais – uma é a preguiça de cozinhar às vezes, a outra é sair com o namorado, a gente sempre acaba comendo na rua mesmo, o que é difícil evitar. Mas dá para gastar menos, sim.

Uma coisa boa que resultou do desafio foi que eu aboli os refrigerantes na hora do almoço. É mais saudável e mais barato! Também não estou mais comprando lanches para comer à tarde no trabalho (levo de casa), outra economia.

Ainda preciso superar a preguiça de fazer comida e a tentação de parar no McDonald’s/Subway para comprar o “almoço” ou a “janta”.

Espero continuar com o bom trabalho em Setembro! 🙂

Desafio: R$250 de alimentação em Agosto – Semana 3

Semana 3 – 17/08 a 23/08
18/08 – Almoço – R$ 23,55
22/08 – Lanche – R$ 8,80; Sacolão – R$ 5,47; Supermercado – R$ 24,78
23/08 – McDonald’s – R$ 20,50
Total dos gastos na Semana 3: R$ 83,10
Total dos gastos do mês: R$ 282,07
Argh! Meu desafio já era! 😦
Ok, confesso que fui bem negligente nessa terceira semana: dia 18 fui fazer umas compras no shopping e acabei almoçando por lá, daí a refeição caríssima. Nesse mesmo dia, aproveitei as férias e fui para a casa da minha mãe, e voltei no dia 22. E então aconteceu um desastre: cheguei em casa e vi que a minha geladeira tinha desligado durante esses dias em que eu estive fora. Perdi TODA a comida que tinha nela! Foi um horror, as coisas mofaram… Passei o início da noite  lavando a geladeira. Mais tarde fiz compras mas a preguiça de cozinhar me impulsionou a pedir um hambúrguer na lanchonete do bairro. No sábado eu fui ao cinema e saí de lá morrendo de fome, então passei no McDonald’s para comer. E assim estourei o meu limite de gastos do desafio!
Ainda vou continuar contando os gastos da última semana, e depois faço um post sobre o que eu aprendi com o desafio, e como posso gastar menos com alimentação (desnecessária, tipo fast-food).

Desafio: R$250 de alimentação em Agosto – Semana 2

Continuando o desafio, esses foram os gastos da segunda semana de Agosto:
Semana 2 – 10/08 a 16/08
11/08 – Supermercado – R$ 6,37
12/08 – Almoço –  R$ 11,18
13/08 – Almoço – R$ 11,48
14/08 – Almoço – R$ 11,66
Total dos gastos na Semana 2: R$ 40,69
Total dos gastos do mês: R$ 198,97
 Observações:
  • No dia 15/08 não gastei com almoço porque foi feriado em BH, então comi em casa;
  • Em compensação, no dia 16/08 tive um super gasto extra: foi meu aniversário, então reuni meus amigos em um bar para comemorar. Gastei R$ 50 nesse dia, mas não só com comida e bebida, já que eles cobram a taxa de serviços dos garçons, e etc. Não vou colocar esse valor no desafio porque foi uma ocasião especial, né?

Agora estou de férias, devo gastar muito menos com almoço fora, mas a conta do supermercado deve aumentar. Vamos ver se consigo me manter nos R$ 250!

Desafio: R$250 de alimentação em Agosto – Semana 1

Aí estão os gastos com alimentação referentes à primeira semana de Agosto. A minha primeira semana tem, na verdade, nove dias, porque não quis “picar” os dois primeiros dias do mês.

Semana 1 – 01/08 a 09/08

01/08 – Almoço – R$ 17,76
04/08 – Almoço – R$ 7,77;  Padaria – R$ 11,45
05/08 – Almoço – R$ 10,34
06/08 – Almoço – R$ 11,66
07/08 – Almoço – R$ 11,80;  Supermercado – R$ 6,48
08/08 – McDonald’s – R$ 19,00;  Habib’s – 21,42
09/08 – Sacolão – R$14,79;  Supermercado – R$ 25,81

Total dos gastos na Semana 1: R$ 158,28

Vou confessar que já estou desanimada com o desafio. Só na primeira semana eu já gastei mais da metade do valor total estipulado! Eu até consegui parar de comprar lanches (trago de casa para o trabalho), mas as saídas me quebraram um pouco. No dia 04, encontrei com amigas em uma padaria, e os lanches lá eram relativamente caros. E no dia 08, já errei almoçando no McDonald’s, mas estava com pressa… E à noite, saí com meu namorado, mas como ele estava sem grana acabei pagando o lanche para os dois (mais fast-food). Lá se vai a economia da semana!

Mas não vou largar o desafio ainda, pessoal. Espero gastar menos na Semana 2!

Desafio: gastar apenas R$ 250 em comida no mês de Agosto

Nada como um desafio para animar as coisas! 😀

Ontem vi esse post no site Commidas e gostei tanto da ideia que resolvi copiar. Os donos do site propuseram o “DESAFIO R$ 300”: gastar apenas trezentos reais com refeições para duas pessoas durante todo o mês de Agosto.

O principal motivo para eu querer adotar o desafio também é que meus gastos com alimentação andam MUITO altos. Só neste mês de Junho – que ainda não acabou –  gastei R$ 417,23 com alimentação, sendo:

  • R$ 140, 90 com compras no supermercado
  • R$ 157,03 em restaurantes
  • R$ 119,30 em fast-food e lanchinhos

Os gastos com supermercado não estão tão absurdos, meu problema são os gastos com “comer fora”. Agora que fui contratada e estou trabalhando 8h/dia, não posso mais almoçar em casa. Para piorar, não posso trazer marmita para o serviço porque o microondas não funciona mais e – pasmem! – não tem lugar para comer na empresa. Nem copa, nem cozinha, nada. Acabo almoçando em restaurantes próximos ao trabalho mesmo. E como trabalho em um bairro de classe média, a comida costuma ser cara.

Os lanches então, nem se fala! Costumo trazer algo para comer à tarde, biscoitos ou coisas assim, mas às vezes fico com fome e acabo comprando um salgado, um chips ou um chocolate em padarias ou lanchonetes, o que também não sai barato.

Minha intenção, com esse desafio, é diminuir os gastos com alimentação sem comer menos, e consumir alimentos mais saudáveis. Por exemplo:  vou continuar almoçando em restaurantes, mas vou eliminar os refrigerantes que costumo tomar. Vou preparar lanches melhores em casa, para não ficar com fome e ter que recorrer ao “chocolatinho da padaria”, e assim por diante.

Outro fator que preciso observar é que entro de férias no meio do mês: não vou gastar com almoço fora por 15 dias, mas também costumo sair mais quando estou de folga, então vou ter que redobrar a atenção com os gastos neste período.

É isso aí, vamos ver se dou conta!

Organizar a vida em 7 dias – Dia 5

Inspirado nesse post.

Organizando a compra de comida e o preparo semanal das refeições

Como não tenho tempo de cozinhar durante a semana, costumo fazer comida suficiente para 5/6 dias no sábado ou domingo, que vou esquentando e comendo nos outros dias. Sei que não é o ideal (do ponto de vista da saúde), e às vezes é cansativo comer a mesma comida por dias, mas é o que posso fazer por enquanto.

Todo sábado vou ao supermercado e compro comida suficiente para a semana (frutas, verduras, pão, alimentos que acabam rápido). Os alimentos que duram mais, como arroz, feijão,  açúcar, etc, eu compro a cada dois meses ou mais.  Eu gosto de cozinhar, então escolho uma “receita especial” para a semana, geralmente uma sobremesa (adoro fazer bolos e tortas) e compro os ingredientes que preciso para fazê-la.

Um problema que sempre tenho é que não lembro de variar. Chego no supermercado, compro praticamente as mesmas coisas e, quando chego em casa, fico pensando que poderia ter comprado isso ou aquilo. Então, seguindo as dicas da autora do post que linkei acima, decidi fazer uma lista de compras mestra, com todos os alimentos que gosto/costumo comprar. Só não pretendo comprar todos eles semanalmente, é claro! Vou colar a lista na porta da “minha parte” do armário e, quando estiver fazendo a minha lista semanal, além de conferir o que acabou e preciso repor, vou checar a lista mestra e ver se tem algo diferente que gostaria de  comprar também.

Abaixo, o esboço da minha lista:

Lista de compras Mestra

Fugindo do fast food

Andei fazendo as contas e descobri que, de 01/01 até o dia de hoje, eu gastei R$ 602, 58 em fast food e lanches em geral. Fiquei simplesmente chocada. Se eu tivesse economizado esse dinheiro, minha poupança estaria um pouco mais “recheada” hoje – ai, se arrependimento matasse!

Para não repetir o mesmo erro nesse final de ano, resolvi me dar outro desafio: proibição total de consumir qualquer tipo de fast food. Isso vale tanto para as comidinhas do McDonald’s, Subway e afins, quanto para esses lanches de rua, salgados, chips, etc. Se eu resistir à tentação e fugir desse tipo de gasto até o fim de Janeiro do ano que vem, a recompensa será poder comprar qualquer coisa que eu quiser dentro desse valor que eu gastei antes (lógico que eu preciso esperar o ano sem compras terminar).

Só vou abrir uma exceção para o caso de sair com as amigas e todo mundo escolher comer esse tipo de comida, aí vou ter que acompanhar. De qualquer forma, como isso quase nunca acontece, acho que não corro risco de falhar tão rápido.