Jejum de compras: Julho

O que eu quis comprar, mas não comprei:

  • Tinta spray dourada

O que eu comprei:

  • 1 cafeteira italiana
  • 1 espelho para o quarto
  • 1 marcador para biscoitos
  • 1 filtro de linha
  • 3 ganchos de parede adesivos
  • 1 rolo de fita crepe
  • 1 jogo no Steam

Do que eu me desfiz:

  • 1 faixa de cabelo
  • 1 bolsa de mão preta
  • 1 filtro de linha

Notas:

A maioria das compras desse mês foram de coisas para a casa que eu já precisava há um tempo. Finalmente consegui um espelho para o quarto! E o marcador de biscoitos, apesar de super barato, foi desnecessário. Poderia ter economizado esse dinheiro.

Sobre a cafeteira: quase não bebo café em casa, mas queria uma cafeteira italiana porque poderia fazer café em pouca quantidade e sem me preocupar com coador/filtros/etc quando realmente tivesse vontade de tomar. Pretendia deixar a compra para o futuro, mas um colega de trabalho foi para a Itália e ofereceu para trazer uma coisa ou outra que quiséssemos, então pedi que ele comprasse uma cafeteira italiana verdadeiramente italiana para mim. Agora tenho uma cafeteira bem mais viajada que eu. 😀

Atualizei um desejo da lista: ao invés de comprar um porta-guardanapos, pretendo comprar quatro guardanapos de pano e usá-los no lugar dos de papel.

Jejum de compras: Junho

O que eu quis comprar, mas não comprei:

  • Promoções de restaurantes do Peixe Urbano
  • Uma lixeira nova para a cozinha

O que eu comprei:

  • 3 caixas de cápsulas de café expresso
  • 1 casaco de moletom
  • Materiais para alguns projetinhos:
    • 1 lata de tinta spray preta
    • 1 frasco de verniz
    • 1 nível com régua

Do que eu me desfiz:

  • 1 calça de brim preta
  • 1 cardigã listrado
  • 1 casaco de tricô
  • 1 par de brincos
  • 1 cachecol verde

Notas: Nesse mês eu consegui reduzir meus gastos com alimentação (principalmente com restaurantes e deliverys), mas acabei tendo gastos inesperados relativamente altos e nem pude sentir o gostinho da economia… Um deles foi a troca do disjuntor do meu apartamento, o outro foi a compra de alguns remédios para acne (estou fazendo tratamento e tudo o que a dermatologista me receitou é SUPER caro). Acabou que não pude comprar nada da wishlist esse mês, uma pena!

Revisitando meus gastos – 2016

No início de 2013, escrevi um post relatando meus principais gastos e também coisas com as quais eu não gastava dinheiro. Três anos depois, o que mudou?

Gasto mais/passei a gastar com:

  • Despesas de casa (aluguel/condomínio/luz/etc.): morando sozinha, meus gastos desse tipo aumentam bastante. Ainda assim, as despesas com a casa não passam de 35% da minha renda (antes, mesmo morando em república, esses gastos chegavam a 50% – meu salário era bem baixo)
  • Internet e Netflix: assino um plano de banda-larga e por mim continuaria para sempre nos torrents de séries e filmes, mas meu namorado me atormentou para dividir um plano de Netflix com ele (considerando que eu aproveitava o dele de graça, acho justo  😀 )
  • FIES: venho pagando a amortização dos juros a cada três meses e, a partir de setembro, vou começar a pagar as mensalidades do financiamento.
  • Academia: tenho esse gasto desde que comecei as aulas de Krav-Maga em 2013, e apesar de ter desconto de 50% para estudante e pagar planos semestrais ou anuais para economizar, esse gasto pesa um pouco no meu orçamento.

Gasto menos com:

  • Comida, principalmente fast-food: não preciso mais almoçar fora todos os dias, então a economia já é grande. Também larguei a mania de fast-foods (apesar de ainda ir em alguns às vezes).
  • Transporte (ônibus / metrô): agora que moro a uma distância razoável do trabalho, costumo ir à pé. Uso mais os ônibus nos finais de semana.
  • Roupas, sapatos e acessórios: depois de “refazer” meu guarda-roupa e torná-lo mais minimalista, estou comprando bem menos e escolhendo peças mais versáteis.
  • Livros: desde que adquiri o Kindle, não compro mais livros de papel.
  • Produtos de beleza: uso apenas o necessário, e reduzi as compras de esmaltes, que eram meu fraco.
  • Celular: tinha um plano controle que custava R$ 35, e mudei para 0 pré-pago, e agora faço uma recarga de R$ 25 por mês. Dez reais por mês parece uma economia boba, mas em um ano deixarei de gastar 120 reais. Já é alguma coisa!

Eliminei:

  • Taxa de serviços bancários: aderi ao pacote de serviços essenciais do banco e não pago mais uma taxa mensal de manutenção da conta.
  • Cartões de lojas: quebrei meu cartão da Renner em 2013 e nunca mais adquiri outro. 

É verdade que depois de formar passei a ganhar mais e, consequentemente, passei a gastar mais. Ainda assim, consigo poupar muito mais dinheiro que antes (proporcionalmente) e mantenho os gastos dentro das minhas possibilidades – tanto os essenciais quanto os supérfluos. Ainda preciso melhorar bastante, mas fico feliz em ver minha evolução ao longo dos últimos três anos!

Jejum de compras: Maio

O que eu quis comprar, mas não comprei:

  • As molduras, novamente

O que eu comprei:

  • 1 assadeira para muffins/cupcakes
  • 1 bomba plástica para Vac Bag
  • Passagens de avião para as minhas férias
  • 1 marmita
  • 1 colar

Do que eu me desfiz:

  • 1 vestido de festa rosa
  • 1 boina preta
  • 1 porta-canetas
  • 1 enfeite de cabelo em forma de flor
  • 1 faixa de cabelo
  • 1 vasilha de plástico
  • Minha marmita antiga, que quebrou

Notas: Vejo que estou conseguindo manter as compras de objetos dentro do previsto (o colar foi um luxo, mas vou deixar passar porque eu precisava “completar” minha caixa de bijuterias). O que notei esse mês foi que gastei absurdamente com comida, principalmente restaurantes/delivery/fast-food. A preguiça de cozinhar combinada com algumas saídas pesaram bastante no meu orçamento, agora preciso maneirar no mês que vem.

Jejum de compras: Abril

O que eu quis comprar, mas não comprei:

  • Livros
  • Uma mochila nova

O que eu comprei:

  • 1 esmalte e 1 base
  • 1 vidro de acetona
  • 1 tônico de limpeza facial
  • 1 vidro de desodorizador spray
  • 1 bisnaga de cola vinílica
  • 1 edredom de casal
  • Baterias para o meu relógio de cabeceira
  • 1 saco para armazenamento a vácuo

Do que eu me desfiz:

  • 1 camisa branca de ginástica
  • 1 relógio
  • 1 edredom de casal
  • 1 colchão inflável

Notas: Quando defini as regras do desafio, esqueci de esclarecer uma coisa importante. Só estou listando como compras coisas que não são necessárias. Por exemplo: listo que comprei esmaltes, mas não desodorante – porque afinal, esmalte é dispensável, mas o desodorante não é! Assim como comida, produtos de limpeza, gás…

Os produtos de beleza que comprei foram para substituir os que acabaram. Comprei também algumas coisas para reparos, mas não deram certo: a cola vinílica eu usei para tentar remendar meu colchão inflável, mas ele tinha bem mais que dois furos, então não deu certo, precisei jogá-lo fora. E meu relógio de cabeceira parou de funcionar, achei que eram as baterias mas colocar novas também não adiantou.

Fui à Bienal do Livro de MG e quase comprei alguns livros lá, mas achei melhor economizar (vou baixar os arquivos para o Kindle, depois 😛 ).

Quando comprar barato não é um bom negócio

No ano passado, fiz um post sobre o enxoval que estava comprando depois da mudança, e escrevi exatamente essa frase:

Tentei economizar o máximo porque esses itens para a casa costumam ser caros, então a maioria deles veio de promoções…

Pois bem. A grande maioria dos itens que comprei são bons e estão durando bem, não tenho do que reclamar. Só passei raiva com uma coisa: o meu edredom. Eu o comprei em uma promoção numa dessas lojas de cama/mesa/banho, ele não tinha marca e saiu por R$ 80. Ele é grande, macio e esquenta bem, o problema é que  o “recheio”, que são pequenos fiapos de poliéster, escapa pelas tramas do tecido o tempo todo, e como se não bastasse isso, ele espeta! Sim, passei todo o inverno passado sendo pinicada quando mexia sob o edredom ou quando sentava na cama. O enchimento também saía durante a lavagem, e ele acabou ficando bem mais fino que no início.

Para não passar por esse perrengue de novo, esse mês fui a uma loja da Artex e comprei outro edredom, dessa vez por R$ 156 – o dobro do preço do primeiro, mas pelo menos é de uma marca que eu conheço e confio na qualidade e durabilidade dos produtos. Mas como nada é perfeito, esse novo edredom, mesmo sendo para camas de casal padrão, é gigantesco! Não coube em nenhum lugar no meu quarto (nem dentro da minha mala, onde ficava o primeiro), então precisei comprar uma embalagem de armazenamento a vácuo para guardá-lo.

Moral da história: quis economizar e acabei gastando mais ainda que o previsto. Isso já aconteceu comigo várias vezes, principalmente com roupas e sapatos – eu comprava alguma coisa super barata, ela estragava alguns meses depois e aí eu precisava comprar outra (jamais esquecerei de uma imitação de All Star que me custou R$ 30 e durou exatamente dois meses). Hoje em dia, prefiro gastar um pouco mais com itens que sei que são de qualidade e vão durar um bom tempo… Vou usar esse critério para roupas de cama também.

Jejum de compras: Março

O jejum de compras do mês passado foi assim:

O que eu quis comprar, mas não comprei:

  • Molduras para finalmente pendurar meus pôsteres nas paredes

O que eu comprei:

  • 4 conjuntos de calcinha + sutiã
  • 1 calcinha avulsa
  • 3 pares de meias
  • 1 calça legging preta
  • 1 entrada para o boliche, dividida com amigas
  • 4 ingressos para o cinema, com desconto
  • 3 recargas para o celular
  • Vários remédios

Do que eu me desfiz:

  • 1 calça legging preta
  • 2 pares de meias soquete
  • 2 pares de meias 3/4
  • 2 conjuntos de calcinha + sutiã
  • 1 calcinha avulsa
  • 1 kit de cuidados para unhas/maquiagem
  • 1 cinto rendado
  • Tudo o que está listado nesse post

Notas: Finalmente terminei as compras mais necessárias, que eram as roupas íntimas (meias/calcinhas/sutiãs)! Acabei comprando 1 conjunto e uma calcinha a mais porque não resisti às lindezas… Também comprei uma calça legging porque a minha antiga estava tão frouxa na cintura que ficava caindo sem parar na academia! XD

No início do mês tive uma virose combinada com uma crise de sinusite que me derrubou por uma semana, e precisei comprar alguns remédios para me curar. Fiquei na dúvida entre listá-los ou não, já que foi uma compra necessária, mas achei melhor deixar na lista, a título de curiosidade.

As recargas para o celular foram um problema. Troquei meu plano de controle para pré-pago para economizar, mas para me inscrever em promoções a operadora cobra (e cobra caro); eu também precisei fazer várias ligações demoradas para fixo, o que acabou rapidíssimo com meus créditos. Além disso, precisei pagar a última conta do plano controle. Resultado: ao invés de gastar R$ 35 (valor normal do meu plano), acabei gastando R$ 90 com celular em apenas um mês. 😦 Não vou me martirizar por isso, pois estou me adaptando ao novo plano, mas espero sinceramente que no próximo mês eu administre melhor os meus créditos!

O kit para unhas e o cinto estavam na minha loja do Enjoei e finalmente foram vendidos. As entradas para o boliche e para o cinema eu comprei com desconto no Peixe Urbano.

Por fim: estou pensando em desistir de dois itens da lista, mas por enquanto vou apenas adiar indefinidamente a compra de ambos.

Jejum de compras: Fevereiro

O segundo mês de menos compras foi assim:

O que eu quis comprar, mas não comprei:

  • Mais lingeries e  meias mas, de novo, ficaria caro demais (as que eu comprei esse mês já custaram bastante!)
  • Cápsulas de café expresso. Tem uma máquina no meu trabalho, e costumamos comprar cápsulas para fazer de vez em quando. Estava tendo uma promoção ótima no site da Dolce Gusto (leve 4 caixas, pague 2), mas eu já tinha comprado coisas demais esse mês.

O que eu comprei:

  • 3 conjuntos de calcinha + sutiã (um deles com o sutiã de alças removíveis que está na lista)
  • 5 pares de meias
  • 2 canetas permanente BIC douradas
  • 1 embalagem de cera para depilação
  • 1 pacote de folhas prontas para depilação
  • Plantas nova para o meu terrário

Do que eu me desfiz: 

  • 5 pares de meias
  • 1 sutiã bege avulso
  • 3 conjuntos de calcinha + sutiã

Notas: De novo, gastei mais do que podia no cartão de crédito. E, de novo, foi porque uma compra que fiz dois dias antes da fatura fechar caiu para ser paga nesse mesmo mês. Também gastei bastante com comida. Tirando essa última compra, que foram as lingeries, todos os meus outros gastos no cartão de crédito foram com restaurantes. Preciso realmente fazer um controle melhor dos gastos no cartão. Pelo menos nesse mês o valor da fatura foi metade do valor de Janeiro.

As plantas eu comprei porque quase todas as plantinhas do meu terrário morreram. Foi um descuido meu, uma suculenta morreu e eu deixei ela lá (não sabia que precisava retirar), o que contaminou as outras plantinhas com bactérias e as matou também. Só sobrou um cacto. Agora aprendi minha lição e estou lendo mais sobre cuidados com plantas.

Estou gostando de anotar todas as minhas compras. Abro a lista e penso: “nossa, já comprei tudo isso? Melhor deixar o resto para o mês que vem”. Eu ainda fico ansiosa para adquirir as coisas da wishlist, é algo que preciso moderar. Pelo menos não estou comprando além da conta.

A tentação dos supermercados “chiques”

Costumo fazer minhas compras semanais em supermercados mais populares, que tem os preços mais baixos. Acontece que nem sempre encontro ingredientes para uma ou outra receita nesses mercados, então procuro nos estabelecimentos mais de classe média-alta (supermercados “de rico”, como costumo chamar), onde é mais provável achar itens incomuns.

Foi o que aconteceu nesse fim-de-semana. Queria fazer uma moqueca, precisava de caldo de camarão e não achei em lugar nenhum. Então, no sábado, fui com meu namorado em uma das lojas do Super Nosso. Nossa ideia inicial era comprar uma caixinha de caldo de camarão (se houvesse) e algumas frutas para fazer suco. Só que aí começamos a andar pelo supermercado, ver coisas “interessantes” em oferta… No fim das contas, saímos com 130 reais em compras, a maioria delas supérfluos como chás, molhos e temperos.

Está aí uma coisa que não consigo controlar ainda: a vontade de comprar “coisas gostosas” para comer ou usar em receitas. Geralmente eu sou bem prática na hora de fazer compras, faço listas, planejo, mas se aparece a oportunidade eu não penso duas vezes. Agora estou aí, com o orçamento comprometido até receber o salário em março. 😦

Meu namorado diz para eu não ficar triste e pensar que agora tenho várias comidas gostosas para preparar e comer, mas eu ainda me sinto mal por cometer um erro tão básico quanto fazer compras por impulso – já perdi esse hábito com roupas e todas as outras coisas, menos comida. Nessas horas vejo que tenho um longo caminho pela frente…

Jejum de compras: Janeiro

Vamos aos resultados do meu primeiro mês de “jejum” de compras.

O que eu quis comprar, mas não comprei:

  • Lingeries e meias. Ia ficar caro e eu preferi dar prioridade para coisas mais “urgentes”.

O que eu comprei:

  • 1 par de sapatilhas pretas
  • 1 calça jeans
  • 1 carrinho de compras – o meu já estava muito velho e rasgado.
  • 1 caderninho para anotações – para substituir o que eu uso para fazer listas de compras, que acabou.
  • O livro de francês para o curso Pré-Intermediário
  • 1 rolo de papel contact jateado para colocar nas janelas do apartamento
  • 1 esmalte (substituindo outro que acabou)

Do que eu me desfiz: 

  • Tudo o que está listado na parte “Itens retirados” desse post.

Notas: Passei (e muito) do limite estabelecido para compras no cartão de crédito. Já tinha comprado os itens de papelaria, a calça jeans e o livro de francês nele (antes de definir as regras do desafio) quando resolvi comprar a sapatilha também – comprei dois dias antes do fechamento da fatura, achando que viria no próximo mês, mas veio nesse. 😦

De qualquer forma, foi um mês de adaptação. Minha vontade era comprar vários itens da lista de uma vez – principalmente as calcinhas e sutiãs, estou precisando tanto! – mas me sinto culpada por querer “gastar demais”, mesmo tendo previsto tais compras. Acho que vou lidar melhor com isso à medida em que o tempo for passando.