Objetivos financeiros para 2018

Como prometido no post anterior, esses são os meus objetivos financeiros para 2018:

Aumentar a poupança mensal para aposentadoria: em 2017 eu comecei a guardar uma quantidade para a minha reserva da aposentadoria, mas era um valor baixo. Esse ano fixei o valor em 12% da minha renda. Cheguei a essa porcentagem através de um artigo do site Finanças Femininas, chamado “IMC do Bolso”, que indica o quanto você deve poupar por mês de acordo com a sua idade.

Investir 100% dos ganhos extras: geralmente, quando recebo algum dinheiro além do salário (vendas, reembolsos, etc) eu costumo gastá-lo porque nunca é uma quantia alta, mas quero passar a investir esse dinheiro também.

Mapear maiores despesas e reduzir em pelo menos 10%: essa meta foi inspirada por um artigo do site The Financial Diet sobre a “regra dos 10%”, que consiste em analisar cada categoria do seu orçamento e pensar como você pode reduzi-las em apenas 10%. Pretendo fazer isso com minhas maiores despesas: alimentação, gastos com a casa e transporte.

Passar 6 meses sem compras: faz tempo que estou querendo fazer um outro ano sem compras, mas nos últimos tempos eu sempre preciso de uma ou outra coisa, e fico adiando. Em 2016 eu fiz o desafio do Jejum de Compras mas, apesar de ter reduzido meus gastos com supérfluos, eu não os eliminei completamente. Vou aproveitar que meu orçamento estará bastante apertado esse ano para passar seis meses comprando apenas o essencial e nada mais. Provavelmente começo em julho!

 

Balanço das finanças de 2017

O ano passado também foi um ano tranquilo em relação às finanças – parece que é a única área da minha vida sobre a qual eu ainda tenho algum controle, risos. As despesas aumentaram, mas as receitas também, porque finalmente fui contratada como CLT! 2017 teve seus altos e baixos, em resumo:

Pontos positivos:

  • Comecei a poupar uma quantia mensal para a aposentadoria;
  • Incrementei minha reserva para emergências;
  • Mantive as compras de supérfluos sob controle, graças à minha lista de compras permitidas por mês.

Pontos negativos:

  • Novamente, não segui à risca os valores definidos para cada categoria do meu orçamento mensal;
  • Estudei menos do que gostaria sobre finanças;
  • Gastei bastante (de novo) com restaurantes/delivery e Uber/Cabify/etc. Os dois gastos aumentaram porque estou saindo mais, mas também por preguiça de cozinhar ou ir a pé ou de ônibus para os lugares.

Conclusão:

Como repeti alguns erros dos anos anteriores, principalmente no que diz respeito á definição do orçamento, acho que chegou a hora de adotar uma nova abordagem. 2018 será um ano de muitos, muitos gastos – todas as minhas despesas fixas estão aumentando, e a pós-graduação também vai pesar bastante, por isso preciso ser ainda mais responsável com meu dinheiro. O post da semana que vem será sobre as minhas metas financeiras para este ano.

Desafio: Faxina em Setembro

Nesse mês que passou, o Apartment Therapy lançou mais um desafio de organização de destralhe da casa – o September Sweep. O site postava apenas uma tarefa por dia, então eu resolvei escrever sobre do desafio apenas no final. Segue a lista de tarefas (as descrições completas estão no link anterior):

  1. Defina onde você vai armazenar os itens dos quais pretende se livrar.
  2. Coloque os cabides ao contrário no guarda-roupa, para identificar mais facilmente as roupas que não são usadas com frequência.
  3. Identifique o lugar com mais tralha acumulada e remova uma coisa de lá.
  4. Cronometre 20 minutos para arrumar a entrada da sua casa. Tire uma coisa da área da bagunça.
  5. Lide com a sua papelada e tire uma coisa da área da bagunça.
  6. Remova a maior quantidade possível de tralha do seu quarto em 20 minutos. Tire uma coisa da área da bagunça.
  7. Esvazie os armários e gavetas da cozinha e avalie o que guardar/jogar fora antes de arrumar tudo. Tire uma coisa da área da bagunça.
  8. Cronometre 20 minutos e tire o máximo de tralha possível do home office. Tire uma coisa da área da bagunça.
  9. Arrume os lugares onde você armazena comida. Tire uma coisa da área da bagunça.
  10. Tire o máximo de tralha possível da sala em 20 minutos. Tire uma coisa da área da bagunça.
  11. Livre-se de toda tralha relacionada a projetos e artesanato. Tire uma coisa da área da bagunça.
  12. Descubra jeitos de evitar trazer tralha para a casa. Volte à área da bagunça e tire uma coisa de lá.
  13. Escolha uma coleção de mídia para reduzir e trabalhe nisso. Tire uma coisa da área da bagunça.
  14. Avalie suas coisas de valor sentimental e defina o que não vai mais guardar. Tire uma coisa da área da bagunça.
  15. Identifique os cômodos ou espaços que tem mais tendência a atrair bagunça e crie neles uma mini “zona de tralhas”. Tire uma coisa da área da bagunça.
  16. Cronometre 20 minutos e remova o máximo possível de tralha do seu banheiro. Tire uma coisa da área da bagunça.
  17. Analise seu guarda-roupa e identifique pelos cabides as roupas que não foram usadas nesse período . Tire uma coisa da área da bagunça.
  18. Avalie as coisas que você guardou na caixa de “decidir o que fazer” e dê um destino a elas. Tire uma última coisa da área da bagunça e coloque nas caixas de “doar” ou “vender” ou jogue fora imediatamente.
  19. Lide com tudo o que você guardou nas caixas de “doar” e vender”.

Como foi o desafio para mim:

As tarefas de destralhar cada cômodo em 20 minutos eu nem precisei fazer, já que não costumo deixar bagunça em nenhum lugar da casa – se deixo por um dia, arrumo assim que posso. O que mais gostei foi identificar a minha “zona de tralhas” – minhas caixas de materiais para projetos e componentes de eletrônica – e tirar de lá tudo o que não uso. E como tinha coisa inútil nelas!

Duas coisas que ainda não fiz:

  1. Destralhar meus objetos de valor emocional, porque a grande maioria deles não fica no meu apartamento, mas em um baú na casa da minha mãe. Esse baú com certeza vai merecer um post só dele!
  2. Lidar com tudo o que guardei na caixa de doar/vender. Ainda não tive tempo.  😦

As fotos abaixo mostram os resultados do desafio:

20170917_134003

Coisas que vão ser doadas

Decidi doar todos os materiais de eletrônica que usei durante a faculdade, e os materiais de artesanato eu vou levar para a minha mãe.

20170917_133940

Coisas que foram jogadas fora

Uma sacola cheia de papéis e caixas de eletrônicos, outra com plásticos diversos, outra com não-recicláveis, uma prateleira de alumínio – tudo foi para a lixeira mais adequada. Os eletrônicos e pilhas eu não descartei ainda, já que não podem ser jogados no lixo comum. Sei de uma empresa em BH que recolhe, vou entrar em contato com eles.

Esqueci de tirar foto das roupas, mas o que eu tirei do meu armário foi:

  • 3 vestidos
  • 2 calças jeans
  • 1 short
  • 1 par de brincos
  • 1 gargantilha
  • 3 camiseta
  • 1 par de botas

Já posso considerar que a tradicional faxina de primavera da minha casa está prontíssima! Quem quiser aproveitar a lista para fazer uma faxina de Outubro, ou Novembro…

 

DIY – Caixa organizadora de rolos

Nos posts da semana passada sobre a reorganização da minha cozinha eu mencionei que fiz uma caixa para colocar rolos de papel-alumínio e afins. Minha inspiração foi um post do Apartment Therapy, mais precisamente essa imagem:

Fonte: Apartment Therapy, post linkado acima.

Não queria pendurar nada na porta do armário, então imaginei que poderia reciclar qualquer caixa para fazer um organizador parecido. Usei uma caixa de cereal, e fiz o seguinte:

  1. Fiz um corte com estilete no meio da caixa e nas laterais, dobrei, e colei uma metade na outra.
  2. Cobri a caixa com papel branco, depois com um papel estampado que tinha em casa, para ficar mais bonito.
  3. Revesti a caixa com papel contact para proteger de gordura ou eventuais manchas de comida.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui está o resultado:

20170807_222635

Simples, né? Agora meus rolos estão organizadinhos e não ficam expostos do lado de fora do armário.

Reorganizando a minha cozinha (Parte II)

Como prometido no post de segunda-feira, aqui estão os resultados da reorganização da minha (mini) cozinha:

20170826_104820

Prateleiras organizadinhas

Na prateleira mais baixa eu coloquei os itens que uso quase diariamente: latas de café e açúcar, caixa de chás, cafeteira e temperos. Usei um organizador de prateleira para dispor os potes de temperos em duas camadas e facilitar a visualização (aproveitei que estive em São Paulo no início do mês e comprei esse na Daiso, baratíssimo). Na prateleira mais alta eu coloquei os itens que uso menos, como a garrafa térmica, cestos organizadores e potes de vidro.

O armário agora está bem mais organizado:

20170826_121320

Na prateleira de cima ficam as vasilhas de plástico, na de baixo ficam os mantimentos.

20170826_121343

No espaço sem prateleira: mais mantimentos e outras utilidades de cozinha

Fiz uma caixa especial para armazenar os rolos de papel-alumínio, papel-manteiga e papel-filme, além das caixas de saco ziplock. A única coisa me incomodando é o rolo de papel-toalha, quero arranjar um lugar melhor para colocá-lo.

Nos nichos laterais do armário ficaram um pote com saquinhos de aveia e castanhas, e outros temperos mais “feios” que eu não quis colocar na prateleira: shoyo, molho de pimenta e vinagre.

20170828_222129

Nada de rolos de papel alumínio escapando dos nichos

Estou finalmente livre da bagunça na cozinha! Anda sofro com uma séria falta de espaço, mas pelo menos tenho um acesso mais fácil aos alimentos e aos utensílios quando quero cozinhar. Ainda sonho com uma cozinha onde também caibam a minha geladeira e minhas panelas, mas essa nova organização já foi um progresso ! 😀

Reorganizando a minha cozinha (Parte I)

Como vocês já sabem, moro num apartamento bem pequeno, e a minha cozinha é uma das menores que já vi.  Essas fotos mostram bem a gravidade da situação:

Com tão pouco espaço disponível,  armazenar mantimentos e utensílios de culinária apenas na cozinha é impossível, por isso eu fiz a seguinte divisão: panelas e eletrodomésticos ficam no paneleiro, na sala, comidas e vasilhas de plástico ficam no armário da cozinha. Não sei se mencionei antes, mas a geladeira também fica na sala. 😀

Tudo estava indo mais ou menos bem até eu precisar trocar o armário da cozinha – acabei comprando um ligeiramente menor, e então todo o esquema de organização que eu mostrei no link anterior foi por água abaixo. Meu armário novo estava super bagunçado e muita coisa não cabia:

Depois de quebrar a cabeça tentando achar a melhor solução, resolvi optar pelo mais óbvio e instalar duas prateleiras na parede oposta ao armário. Não gosto muito de prateleiras porque meu apartamento acumula muita poeira, mas eu não tinha outra opção.

Instaladas as prateleiras, o passo seguinte foi definir o que eu colocaria nelas: queria deixar apenas os itens “menos feios” expostos. Isso levou a uma terceira reorganização dos meus temperos (já fiz assim e assim). Como passei a comprar a granel, eles não cabiam mais nos potinhos onde eu costumava guardá-los, então resolvi colocá-los em potes de vidro reaproveitados de geleias, molhos e afins.

20170715_154844

Escrevi o nome de cada tempero em seu respectivo pote, com caneta marcadora (a mesma que eu usei para decorar a parede do quarto!)

Também comprei duas caixas organizadoras empilháveis para guardar os temperos que sobraram:

No próximo post eu mostro como a cozinha ficou!