3 dicas para ter um smartphone menos poluído

Minha eterna busca por uma vida mais simples também passa pelo smartphone: procuro deixá-lo o menos “poluído” possível, faço destralhes constantes, desligo a maioria das notificações, tento não ocupar toda a memória disponível… Aqui estão três dicas que me ajudaram bastante nesse processo:

1 – Ocultar aplicativos que não são usados:

A maioria dos smartphones vem com aplicativos nativos inúteis, mas que não podem ser desinstalados. Felizmente, é possível ocultá-los e impedir que eles poluam o menu do telefone. Tutorial aqui (para Android).

2 – Desativar o download automático de mídia:

Não basta as pessoas te adicionarem em grupos do Whatsapp, elas também precisam mandar várias imagens e vídeos inúteis (ás vezes até pornográficos) para encher sua galeria de imagens e comprometer a memória do telefone. Foi uma bênção descobrir que é possível desativar o download automático de mídia, e hoje em dia o aplicativo só me mostra uma foto se eu clicar nela para baixar,  e dependendo de quem mandou eu nem me dou esse trabalho. Tutoriais de como fazer isso no Whatsapp e no Instagram.

3 – Bloquear notificações de aplicativos:

Grande parte dos aplicativos oferece a opção de desativar notificações, mas não todos. Um exemplo: eu passei um perrengue por semanas com o app do Itaú me enviando notificações de “Faz tempo que você não acessa o app, sentimos sua falta!” até descobrir que uma configuração do celular me permite bloquear todas as notificações de um aplicativo. Para telefones Android, basta ir em Configurações > Sons e Notificações > Notificações de aplicativo e escolher o aplicativo que você deseja silenciar.


Quem tiver mais dicas de como simplificar o celular, por favor compartilhe nos comentários!

Anúncios

Observando a cidade

Durante a semana passada eu escutei uma série de podcasts chamada Bored and Brilliant,cujo objetivo é propor uma vários desafios para que os ouvintes larguem um pouco os smartphones e passem a exercitar a criatividade.

O desafio proposto para o quinto dia é ir até um lugar público e observar algo com atenção, ao invés de ficar concentrado no celular. Esse podcast me fez refletir um pouco mais sobre como eu tenho me tornado mais observadora, principalmente no que diz respeito à cidade onde eu vivo.

Ano passado eu comecei a seguir uma página no Facebook, a Casas de BH. Nessa página, um arquiteto posta várias fotografias de casas antigas que ele vê pela cidade. Eu, que achava as fotos sempre muito bonitas, passei a reparar mais  nas casas e prédios ao meu redor durante minhas andanças e acabei descobrindo muitas construções interessantes – algumas, inclusive, estavam no meu caminho diário para o serviço e eu simplesmente não tinha reparado antes.

Eu percebi há algum tempo que quando eu visito um lugar novo eu adoto uma postura diferente: observo a cidade com atenção e quero absorver o máximo possível, principalmente porque o tempo é curto e não é possível ver tudo. Agora, porquê não fazer isso na minha própria cidade? Eu moro em BH há 7 anos e não conheço vários lugares daqui. Para vocês terem uma ideia, eu moro praticamente do lado do Parque Municipal e há duas semanas pisei lá pela primeira vez desde que mudei pra cá. Eu vivia na cidade sem vê-la, de fato.

Hoje eu sou mais consciente do espaço ao meu redor quando me movimento pela cidade, fico atenta para novidades e principalmente para as construções antigas, que eu adoro ver. Também tiro algumas fotos, mas prefiro não fotografar tudo o que vejo porque a foto nunca sai tão bonita quanto o que está sendo fotografado! Por fim, às vezes eu fico curiosa sobre um prédio e acabo pesquisando sobre a história dele e aprendendo mais.

Em resumo, observar a cidade é gratificante para mim.

IMG_20170902_150825_605

Edifício Chagas Dória em BH

 

 

Destralhe digital, parte I: celular

Início de ano, para mim, é uma época de limpeza e organização da casa, do armário, da papelada… No entanto, não costumo dar a mesma atenção à minha vida digital, por assim dizer. Agora, como meu computador cada vez mais lento, a pasta de Outros Favoritos do navegador cada vez mais cheia e meu telefone cada vez mais lotado de imagens, decidi iniciar 2017 com um bom destralhe digital, dividido em três partes.

Para a primeira parte, escolhi fazer uma limpeza no smartphone e defini três tarefas:

  1. Apagar fotos, vídeos e arquivos: com exceção de poucas fotos que tirei esse ano e alguns ícones, apaguei absolutamente todos os arquivos do meu telefone. As fotos importantes, de viagens e etc, eu salvei no Dropbox. O resto dos arquivos, que não me farão falta, apaguei sem dó.
  2. Desinstalar apps que não uso: não sou acumuladora de aplicativos, mas apaguei alguns jogos (adeus, Pokemon Go!) e outros apps que não usava há um tempo, e desativei os apps nativos que não podem ser apagados. Aproveitei para atualizar todos os que ficaram.
  3. Desativar notificações desnecessárias: detesto notificações insistentes de aplicativos, principalmente porque eu sempre me distraio com elas, então prefiro deixar a maioria desativada. Analisei as configurações de todos os apps que geram notificação e desliguei as que não preciso. Hoje só recebo notificações de mensagens pessoais no Whatsapp (e de um ou outro grupo que considero importante – o do trabalho, por exemplo, eu marco a opção de ignorar por 1 ano 😀 ), respostas diretas no Twitter, e do Messenger do Facebook (que quase não uso também).

As próximas partes desse destralhe serão mais difíceis: planejo fazer uma limpeza geral no meu notebook e, por fim, uma na “internet”: vou organizar favoritos, avaliar minhas redes sociais, etc. Fiquem de olho nos próximos posts!

Aplicativos que me ajudam a me organizar

Assim como a maioria das pessoas, adoro as facilidades que smartphones e aplicativos oferecem mas, tirando as redes sociais, gosto de ter no meu telefone apenas apps úteis  – quando percebo que não estou usando um aplicativo, desinstalo. Odeio ocupar memória e espaço de tela do meu celular à toa. Vou listar aqui quatro aplicativos que me ajudam a cumprir minhas tarefas e a manter minha vida organizada.

Habitica

Esse aplicativo para controlar tarefas e hábitos é excelente. Ele funciona como um jogo de RPG: você tem um personagem e, a cada tarefa que realiza, ganha moedas e experiência. Se você deixar de realizar as tarefas, perde pontos de vida. É bem divertido, e as recompensas funcionam como um incentivo a mais para manter seus hábitos em dia!

Meu perfil e tarefas no Habitica

Meu perfil e tarefas no Habitica

Pact

Esse foi o app que salvou minhas idas à academia. Você “aposta” com o Pact quantos dias irá malhar por semana – se você cumprir a aposta, ganha dinheiro (alguns centavos de dólar). Se você não cumprir, perde pelo menos 5 dólares para cada dia que não foi! Esse app só serve para os muito disciplinados ou muito pão-duros (meu caso). Graças a ele, estou indo direitinho no Krav-Maga e na musculação.

Screenshot_2016-03-04-21-40-41

Uma semana de exercícios concluídos no Pact

Meu Calendário Menstrual

Uso esse app principalmente para controlar os dias de tomar meu anticoncepcional e fazer previsão de quando a minha menstruação vai vir, mas ele também permite adicionar diariamente sintomas de TPM, humor, peso e temperatura, além de outras opções.

Screenshot_2016-03-04-21-44-42

Tela principal do Meu Calendário Menstrual

Duolingo

Eu costumava usar a versão web, mas sempre esquecia e ficava semanas sem treinar francês, e meu nível de conhecimentos acabava diminuindo… Treinando pelo celular eu mantenho uma frequência melhor, e os exercícios são mais dinâmicos, o que aumenta a minha vontade de praticar.

Screenshot_2016-03-04-21-37-38

Progresso no Duolingo

E vocês, leitores? Quais aplicativos  mais ajudam no dia-a-dia?