Minimalismo e economia em viagens

Entre os dias 12 e 15 desse mês, estive em Curitiba. Foi a quarta viagem que fiz sozinha, e percebi que estou ficando boa nesse negócio! 😀  Consegui organizar uma viagem bem divertida e tranquila, apesar de curta. Vou listar aqui algumas práticas que adotei para me organizar e economizar durante essa viagem:

Viajar em datas alternativas: ao invés de tirar férias, resolvi aproveitar o fim-de-semana anterior o dia 15/08, feriado municipal em BH, para viajar. Pedi folga na sexta, 12/08 (vou pagar as horas, mas tudo bem), e consegui fazer uma mini-viagem sem sacrificar minhas férias e sem sofrer com o movimento de férias/feriados nacionais.

Pesquisar hotéis e passagens em promoção: eu gosto muito do site booking.com, porque posso comparar preços de hotéis e fazer a reserva por ele mesmo, sem complicações. Para passagens, gosto do Decolar.com ou do Viajanet. Mas é bom ficar atento e só usar esses sites para pesquisa, já que eles cobram taxas extras, e comprar direto nos sites das companhias aéreas.

Eu também fiz uma “loucura” que deu certo: estava achando as passagens para voo direto de BH para Curitiba muito caras, e quando vi que todos os voos faziam escala em São Paulo, decidi fazer uma baldeação de avião – comprei passagens de BH para São Paulo, e de lá para Curitiba, ida e volta. Custei para achar horários que batiam e morri de medo de dar tudo errado, mas felizmente correu tudo bem. Acabei economizando R$ 100 com isso.

Comprar passagens com milhas ou pontos: não gasto tanto no cartão de crédito para acumular milhas, mas descobri que tinha Dotz o suficiente para comprar uma das passagens. Acabei pagando só a taxa de embarque.

Planejar os gastos com antecedência e estabelecer um valor máximo: defini um orçamento para transporte, alimentação e passeios e procurei segui-lo à risca. No fim das contas, ultrapassei o valor em apenas 50 reais por causa dos gastos com alimentação, e só.

Levar só o essencial: levei uma mochila para quatro dias de viagem. Minhas roupas foram: 1 calça jeans, 1 tênis, 4 blusas, 1 jaqueta, 1 pijama, roupas íntimas e meias na quantidade exata para os quatro dias. Também levei apenas os produtos de higiene essenciais. Não precisei de nada além do que levei.

Dar preferência a passeios grátis: Curitiba tem muitos parques e praças, todos com entrada grátis. Aproveitei para passear por esses lugares, e só paguei para entrar no Museu Oscar Niemeyer.

Andar a pé ou usar o transporte público: aproveitei que estava hospedada no centro da cidade e andei muito, mas muito mesmo. Tirando o ônibus da linha turismo, só peguei ônibus na cidade mais duas vezes, todos os meus outros passeios eu fiz a pé. Não fiz isso para economizar, eu gosto bastante de percorrer os lugares andando quando eu viajo, mas caminhar ou usar o transporte público (se for possível e seguro) durante viagens também ajuda a reduzir os gastos.

Levar lanches e água para os passeios: Para não ser pega de surpresa pela fome/sede durante as minhas andanças, sempre carregava uma garrafinha d’água e um lanchinho na mochila. Comprei alguns biscoitos e barrinhas de cereais antes de viajar e eles foram suficientes para os 4 dias. No último dia comprei algumas comidinhas no Mercado Municipal para aguentar a espera no aeroporto. Claro que não me privei de almoçar ou tomar cafés bons fora, mas esses lanches ajudaram na economia.

Aproveitar ofertas de sites de compras coletivas: meu namorado me deu essa ideia e eu achei genial. Sempre procuro ofertas de restaurantes no Peixe Urbano quando quero sair em BH, por que então não fazer isso quando estou viajando? Infelizmente não havia muitas promoções em lugares próximos ao meu hotel, mas ainda assim consegui jantar bem em uma das noites usando cupons.

Maneirar nas lembrancinhas: eu gosto de trazer lembranças dos lugares para onde viajo, mas para não lotar o apartamento com cacarecos, prefiro comprar uma coisa que tenha utilidade, e apenas uma. Nesse caso, já queria comprar uma sacola ecológica de algodão, e acabei adquirindo uma na lojinha de souvenires no parque Tanguá. Também comprei um presente para a minha mãe e outro para o meu namorado, e só. Mesmo passando por várias lojas, shoppings e a famosa Feira do Largo da Ordem, fiz pouquíssimas compras.

pixlr_20160816183443063

Algumas fotos que tirei em Curitiba

De volta das férias

De 3 a 8 de deste mês, estive em São Paulo para a Campus Party. Foi muito bom, me diverti bastante, e posso dizer que apliquei o máximo de minimalismo na minha vida enquanto estive fora.

Para começar, com a mala – tinha só uma mala média e, tirando os equipamentos eletrônicos, que iriam na mochila, tudo o mais deveria caber nela. Fiz uma lista de coisas que precisava levar, separando por categorias (roupas, produtos de higiene pessoal, etc). Levei o mínimo do mínimo necessário, e felizmente não faltou nada! Meu único problema foi com o tempo: fez frio e choveu, mas eu estava preparada para o calor e só levei uma camisola, senti falta de algo mais quentinho para dormir. Nada que incomodasse muito.

Mala quase pronta - ainda coloquei uma toalha de banho, um colchão inflável e um travesseiro antes de fechar

Mala quase pronta – ainda coloquei uma toalha de banho, um colchão inflável e um travesseiro antes de fechar

Uma coisa que me ajudou bastante foi definir um “orçamento diário” para a viagem: por dia, eu estipulei que só poderia gastar R$ 60. Não cheguei nem perto desse valor na maioria dos dias, só ultrapassei os gastos no dia 07, porque comi bastante fora e a comida em São Paulo é bem mais cara que em BH…

Os gastos com alimentação não foram muitos. Na maioria dos dias, sobrevivi com os lanches que levei, a comida na Campus estava bem cara. O que pesou no sábado foi que passei em uma padaria famosa no bairro Liberdade e comprei vários lanches para esse dia e para a manhã de domingo.

A respeito do transporte, passei a maior parte do tempo andando de metrô ou a pé. A organização da Campus disponibilizou um ônibus grátis até a estação de metrô mais próxima, então aproveitei para passear dessa vez! Já tinha planejado meus passeios por dia (05, 06 e 07), por isso pude aproveitar bem meu tempo livre, e não fiquei perdida. Com táxi, só gastei na ida e na volta para o aeroporto. O preço ficou dentro do orçamento.

Sobre os passeios: só fui em lugares grátis, consegui visitar vários pontos turísticos da cidade sem pagar nada (até o MASP, fui no dia em que a entrada era liberada). Quando planejei meu itinerário da viagem, pesquisei onde/quando poderia ir sem pagar e defini os passeios a partir daí. Recomendo demais essa prática!

Infelizmente, fiquei pouco tempo e não consegui ver nem metade da cidade… Mas foi uma ótima viagem, valeu a pena!

Foto de uma parte da Av. Paulista, tirada do vão do MASP

Foto de uma parte da Av. Paulista, tirada do vão do MASP

Minha tentativa de planejar uma viagem “minimalista”

Na empresa em que trabalho, fiz 10 meses de estágio antes de ser contratada. Como tirei apenas 15 dias de férias (em agosto), me sobraram mais 12 dias, que resolvi tirar no início do ano que vem.

A minha intenção desde o início era ir para a Campus Party (quem não conhece, clica aqui para saber mais), e depois que a data do evento foi definida, pedi os dias de férias e comecei a planejar a minha viagem. Já fui em uma Campus Party antes, a de 2012, e gostei muito, mas passei alguns perrengues que poderia ter evitado, tais como:

  • 9 h de viagem de ônibus de BH para São Paulo, ida e volta! Foi muito cansativo. Fui com a caravana de Minas Gerais por medo de ir sozinha, mas agora que já sei andar de avião (risos) não preciso repetir esse feito.
  • Mala gigante, pesadíssima, que ainda por cima quebrou o pé na volta. Vi em vários sites listas informando o que deveríamos levar para a CP, e tratei de seguir. Não usei várias coisas, e ainda voltei com a mala mais cheia por causa dos brindes que distribuem no evento, além da barraca (que eles dão para os campuseiros que quiserem). Desnecessário dizer que nunca mais usei a barraca, né?
  • Não saí do Anhembi (onde aconteceu a CPBR 2012) nenhuma vez. É certo que não queria sair sem companhia, mas o único dia em que tive a oportunidade de dar um passeio em São Paulo, desisti. Só anos depois tive a chance de conhecer a Avenida Paulista. 🙂

Agora, com mais ~ experiência e maturidade ~, acho que consigo fazer uma viagem bem melhor! Para começar, abri um caderno no Evernote chamado “Planejamento Campus Party 2015”, onde anotei todas as coisas que precisava – datas e locais, previsão de gastos, coisas que deveria comprar, lista do que fazer antes da viagem, lista de coisas que vou levar na mala e na mochila, etc.

Assim que ficou disponível no site, comprei a entrada e o camping (com desconto). Também já comprei uma mala de viagem. Faltam as passagens de avião e o pacote de alimentação (uma coisa que deu certo na primeira vez: com o pacote, temos café da manhã, almoço e jantar todos os dias. Quem deixou para comprar comida na hora sofreu com os preços! ).

Pretendo levar o somente o necessário para 5 dias, e não trazer nada que não seja absolutamente importante (revistas-brinde? Nem pensar!). Vou aplicar o minimalismo ao máximo nessa viagem.

Ainda vou postar bastante sobre a minha ida à CPBR 2015, os gastos, a arrumação da mala… Fiquem ligados na minha primeira tentativa de viajar “minimalisticamente”. 😀

 

Balanço dos gastos com o show de FOB

Sim, fui mesmo, e foi ótimo!

Mas depois que voltei para BH, resolvi tomar o choque de realidade de uma vez, e contabilizar todos os gastos que tive com essa viagem para São Paulo e o show.

Além dos gastos com o hostel e as passagens de avião, que citei nesse post, ainda precisei comprar comida lá, pagar táxi do aeroporto para o hostel, de lá para o Citibank Hall, e a volta… etc. etc. Felizmente,  juntei com um pessoal  que conheci no hostel (e eram de MG!), então os gastos com transporte, pelo menos, não ficaram absurdos.

No fim das contas, gastei R$ 689,59 com tudo. Eu até poderia ter gastado menos, mas não consegui resistir à tentação de “turistar” um pouquinho em SP… E comer coisas gostosas. Normal, né? Agora é hora de apertar o cinto para compensar os gastos.

Mas eu não me arrependo não, o show foi uma maravilha!

Essa foto foi tirada pela equipe da banda e postada na página deles no Facebook . Eu editei e me marquei lá no meio. 🙂